quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Só sei dançar com você.


Você apareceu do nada. Vou começar falando assim, e só não completo com "você mexeu demais comigo" porque ai vira uma música que fala sobre adeus, e não é essa que você me faz dançar. Mas você apareceu do nada. E me escolheu pra ser seu par. Você me tirou pra dançar e eu tirei toda minha armadura de medos pré-fabricados pra dançar com você. É que pra dançar e pra voar, a gente tem que ser leve. A gente tem que se desprender. Como eu me desprendi do que eu pensava pra olhar o mundo pelo teu ponto de vista. Você me tirou pra dançar e eu resolvi seguir seus passos, entrar no teu ritmo, ver no que aquilo tudo ia dar.
Um passo de cada vez. Um pra frente e dois pra trás. Um conforme o ensaiado, outro meio improvisado e desajeitado. Um pra perto, outro pra longe. Escorrego por um lado e me aproximo por outro. Passos de quem nunca dançou e de repente se vê bailarina. Eu, feito bailarina que nunca soube dançar, escolho as palavras mais bonitas e danço a dança de quem nunca arriscou um passo tão grande antes: ser teu par. Na chuva, no sol, quando o filme acabar, por onde quer que a gente vá: só sei dançar com você. Meio bailarina que eu nunca fui, meio bailarina que você me faz ser pra me encaixar na fôrma certa dos teus sonhos. 
Você me faz bailarina e eu aceito minha condição. Bailarina que dança com verbos. Bailarina daquelas caixinhas de música: você dá corda e eu danço. Você me chama e eu vou. E fico bem ao alcance das suas mãos, não fujo: prisioneira da caixa que me abriga e toca nossa canção. Bailarina de uma música só: a nossa. Prisioneira dessa dança que não precisa acabar e que eu só danço com você. Feito bailarina, feito moça apaixonada, feito aquela menina boba que encosta o rosto no teu e sorri feliz sentindo sua respiração e seu coração que não disfarça e dispara pra gritar que é meu. Eu aceito a responsabilidade, os riscos, a fe-li-ci-da-de. Eu aceito você. Você vestido do que você é. E me visto do melhor de mim pra te receber. E me faço bailarina, me refaço em você. Me apresento bailarina que só sabe dançar pisando em nãos e você segura minha mão e me ensina a dançar e dizer sim. Me mostra os passos e eu digo sim. Largo o mundo, os medos, as interrogações e seguro sua mão de volta. E fico aqui, não fujo. Não mais. E te digo que sim, moço. 
Sim, eu não sei o caminho, mas vamos juntos. Sim, eu não sei dançar, mas me ensina. Sim, eu não sei dizer, mas tudo o que eu quero é ser teu par. Sim. E não importa o que vem depois. Importa esse agora com você. Importa a gente ter disposição pra nunca mais parar de dançar. Sim. E não importa o que tem lá fora, a gente pode se esconder nesse mundo que a gente criou. E não importam as horas, a previsão do tempo, a programação da tv: importa só estar com você. Danço com você, louca por você: você-meu-par, você-sem parar. Só quero se for assim. Só sei dançar com você.

"Toda vez que eu errava cê dizia 
Pra eu me soltar porque você me conduzia
Mesmo sem jeito eu fui topando essa parada 
E no final achei tranquilo 
Só sei dançar com você 
Isso é o que o amor faz"

9 comentários:

Ana Flávia Sousa disse...

Que escrito mais lindo Nicole!Fiquei com vontade de dançar, e mais ainda arriscar ser bailarina que nunca fui, pra ser o par dele...
E essa música da Tiê toda linda e terna, que não me sai da cabeça há meses...
Ficou tão bordadinho essas palavras suas... inspiradoras.

Um beijo.

Ariana disse...

Uau que texto-poema lindo Nicole!
Quase dancei junto com você, ficou apaixonante.
Nem sei o que dizer!

Beijos

Natália . disse...

Amei o texto .. foi a primeira vez que tive aqui no seu blog, e ja sei que sempre vou querer ler seus post . lindos lindos ..

beijos

http://afuturaesposa.blogspot.com.br/

Thaís. disse...

Deu realmente vontade de ter um par para dançar, viu? Que doçura de texto, menina. Bom demais poder expressar sentimentos através de uma expressão de arte, que é a dança. Adoro seus textos, hein.
Um beijo, @pequenatiss.

Bárbara O. dos Santos. disse...

Nicole, dessa vez você se superou, superou tudo: as minhas expectativas, a minha capacidade de me emocionar com textos tão apaixonados e que s etornam tão apaixonantes.
E você escolheu uma música certa para mim.Com ela meus olhos até enchem d'água e lendo seu texto ouvindo-a não foi diferente.Fico assim pq teu escrito é simples mas bonito, me fez lembrar a única pessoa que vem me ensinando a dançar.
Se isso fosse uma carta e você tivesse lendo-a quem sabe até declamando, juro: ao término eu te aplaudiria de pé com lágrimas nos olhos.

Se puder, gostaria de um dia usar seu texto para expressar coisas que ainda não congiso ao meu par, com toda reverência à você é claro.

Você é uma das poucas pessoas que despertam meu lado sensível que eu vivo esqueceno que tenho.rs
Beijão.

Nina disse...

Acho que todas nós temos o nosso "pé de valsa imperial" ideal - aquele companheiro que, tanto na dança quanto na vida, faz com que sejamos únicas.
Mas afinal, amar assim é tão raro!
Essa música da Tulipa Ruiz é inspiradora, não? E fica linda na voz da Tiê.
Abraços.

Jéssica Gerald disse...

Quantos textos inspiradores, Nicole, né?! Comecei a ler agora e to encantada com tudo que li, simplesmente perfeito o modo de se expressar, utilizando a dança que tanto amo... Parabéns moça.
Jéssica Gerald
garota--virtual.blogspot.com.br

fecetudo.blogspot.com.br disse...

muito lindo teu blog beijinhos

Paula Luz disse...

UUUUUUUUUAL! No works. Amei com A maiusculo.

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...