sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Tira o medo para dançar.


Eu tenho medo de altura, de morrer de solidão, de gente que anda pelas ruas de cara emburrada. Eu tenho medo da televisão, medo das notícias dos jornais, medo de quem não ri. Eu tenho das ruas vazias sem você, dos dias nublados sem o teu sorriso que tem jeito de sol, dos outros abraços que não têm o encaixe do teu. Eu também tenho medo de cair, medo de errar o passo e acabar torcendo o pé, medo de construir um castelo e acabar descobrindo que ele era de areia. Mas me diz, como não ter? Você não é a única.
A moça descendo a ladeira com seu vestido vermelho, comprado justamente para esse dia, tem, e talvez o dela seja chegar lá embaixo e não encontrar ninguém, e ter que subir tudo de novo, sozinha, com os sapatos nas mãos, pés nos chãos, e maquiagem borrada pelas lágrimas. Mas olha ela, mesmo sabendo do risco, ela desce. Ela vai. Ela dá a cara a tapa pro que a vida preparou. Lá embaixo alguém a espera, mas ela ainda não sabe. E o homem no carro também tem medo. Ele foi, mesmo sem saber se ela chegaria lá embaixo, mesmo sem saber se valeria a pena ter se deslocado até lá. Ela desceria, mas ele ainda não sabia. E foi. E se encontraram. E decidiram se encontrar de novo. Porque deixaram o medo de lado. Porque deixaram o amor falar mais alto. Porque tiraram o medo pra dançar.
Tira o medo pra dançar você também, mostra pra ele a dança da vida, mostra pra ele que quem conduz essa dança é você. Me dá a mão, desce essa ladeira que eu te espero aqui embaixo. Não é como você sonhou, mas pode ser melhor, por que não? Pode ser uma nova cicatriz se a gente acabar tropeçando no caminho, mas pode ser o fim de todas elas se a gente acertar o passo. São chances iguais, mas vamos ver o copo meio cheio? Vamos cantar o amor ao invés do medo. O amor é uma caminhada de mãos dadas em direção à um precipício: você sabe que em algum momento vai ter que dar um salto, mas não sabe se voará ou cairá de cara nas pedras. É uma questão de decisão, e toda decisão requer coragem. A gente precisa dar o salto, já estamos na beirada e não tem outra saída. Você pode sair correndo todo o caminho de volta, mas vai viver sempre com um "e se?" martelando na sua cabeça de menina indecisa. 
Então vem, vamos pular. Deixa o medo pra lá, não deixa ele esterilizar nosso abraço, como disse seu poeta favorito, mostra pra ele que não importa se é o congresso internacional do medo, você nasceu para cantar o amor e vai escolher cantá-lo mesmo quando for difícil demais. Canta o amor que os pássaros ouvem teu canto e emprestam suas asas pro nosso voo. Canta o amor que o mundo atende teu grito e presta mais atenção no que vale a pena. Canta o amor que esse canto até o medo para pra dançar.
Tira o medo pra dançar. Deixa o amor repetir uma canção todos os dias. "Medo... e daí?" Você tem medo, mas e daí? Quem é que não tem? Você tem medo, mas e daí? Você é maior do que isso. Tira o medo pra dançar. Tira o medo pra dançar, comigo.

Congresso Internacional do Medo
"Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio, porque este não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos deseros,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte.
Depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas."
(Carlos Drummond de Andrade)

19 comentários:

Whitesh disse...

Simplesmente perfeito. Amei o texto, amei o blog.. parabéns *-*

http://epistolasextraviadas.blogspot.com.br/

Áurea Manuele disse...

você encanta, e seu texto me tirou pra dançar, sem medo!
ta lindo, moça..

Ana Luísa disse...

Ai, Nicole.. Maravilhoso, maravilhoso mesmo! Tive que postar um trecho grande dele no meu mural do face, seguido dos créditos e do link, claro, pra ver se um certo UM resolve alguma coisa da vida.. Sonho...

Mara Melinni disse...

Que o meu medo de seguir o passo não me intimide na caminhada... e que o medo de estar só tb se vá...
Obg pelo post! Lindo...

Bjinhos =**

Marcy! disse...

Lindo por demais!

Kamilla Barcelos disse...

Ache sensacional seu texto. Delicado, bonito e tão... verdadeiro. Achei tão a ver comigo que tomei a liberdade de publicar uma parte no meu facebook. hahaha

Bárbara O. dos Santos. disse...

Eu não tenho essa coragem.Quem sabe um dia eu cansarei de ver o medo dançando a minha música e o tirarei para dançar.
Engraçado foi ficar tanto tempo sem vir aqui e ver um texto que é tão diferente do que acabei de escrever e postar, e é tão injeção de ânimo para tentar conhecer um outro lado da história, do amor.Nunca pensei que um dia viria aqui confessar minha falta de coragem, mas cá estou.Esse medo de assumir nunca tive, mas de arriscar?Isso passa...

Como sempre tudo aqui lindo e encantador, sempre espalhando palavras simples e verdadeiras sobre o amor, algo tão dissimulado pelas pessoas.Conquistando cada vez mais adimiradores da sua escrita, você merece!

Beijão.

Ana Flávia Sousa disse...

"É uma questão de decisão, e toda decisão requer coragem. ".

É assim mesmo.
Fui essa moça, do vestido vermelho que arriscou sem saber o que teria lá embaixo, e hoje, o moço do carro faz tudo valer a pena.

Lindo Nicole. Um beijo.

. disse...

Essa coisa de medo é complicada. A gente tem medo até de deixar o medo de lado. Pode uma coisa dessas? Mas que forma mais linda como você escreveu, moça. Encantei-me, de verdade.
Um beijo, @pequenatiss.

Mayra Borges disse...

Sim! Vamos tirar o medo pra dançar, chega de ter os pés presos, chega de tanto peso dentro d'alma. Vamos cantar a vida o amor e tantas outras coisas, quem sabe a felicidade não aparece pra gente no fim dessa ladeira assim como foi pra moça do vestido vermelho? - Amei o blog o texto, tudo!

www.eraoutravezamor.blogspot.com

Amanda Menezes disse...

Nossa Nicole, quanto tempo hein... Viajei de novo com as tuas palavras *-* Ah o medo hein. É capaz de mover montanhas almas vezes, certo? Kkk :)
Amei!!!


Beijoos
Amanda Menezes

Nina disse...

Que delícia ter a esperança renovada ao tirar o medo para dançar. Você está corretíssima. A vida necessita de medos, mas não deve barrar o nosso progresso interior. Vivemos essencial e instintivamente para arriscar.
Abraços.

Ana Flávia Sousa disse...

Que delícia esses seus layouts!
Um marlindo que o outro! :)

Vim pra ver as novidades e desejar um ótimo restinho de semana! Beijoca.

Yohana Sanfer disse...

Linda sempre! Tudo que você escreve baila! Adoro, Nicole!
Tanto tempo sem vir aqui e qdo volto, mais um belo texto! bjs

Luiza disse...

Lindona, você postou uma vez que não estava mais com jeito pra escrever. Não é isso, é que você está com jeito pra vive, sem medo, sem essa insegurança toda. Porque tudo é normal e acontece com todo mundo, então você tirou a coragem pra dançar e está ai dançando belamente. Escrevendo muito bem como sempre, com seu jeito doce e meigo, feliz. Adorei adorei, saudade dos textos e tudo o mais. beijinhos

Nathy disse...

Eu tenho medo do futuro.

Adoro seus textos!

Beijos

Sandra disse...

Este Selinho eu fiz com carinho para as pessoas queridas que estão sempre comigo...
E que me deixam muito contente com seus Espaços Maravilhosos...
Espero que você goste,
Deste Mimo que estou te dando, porém não se sinta obrigado a colocá-lo no seu Blog, eu
com certeza vou gostar disso, mas não ficarei chateada e nem ofendida casa não queira colocar,
nem tão pouco ficarei observando se colocou ou não...
Estou te dando por que acho que merece...
Um enorme beijo no seu coração...

Sandra Duarte Borges

http://sandraduarteborges.blogspot.com.br/2012/09/meu-selinho-para-voce.html

Daíse disse...

Eu não podia passar aqui e ir embora sem dizer o quanto eu amei o teu cantinho!!!!
Bom demais de ficar!!!!
Beijos!!!

Karine Tavares disse...

Teu blog é lindo! Parabéns!

Vem conhecer o meu:
leiakarine.blogspot.com

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...