quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Attraversiamo.


Atravessar é uma decisão - lembro de te ouvir dizer isso antes de descer as escadas e se perder de mim. Quanto tempo faz? Um ano ou um dia, tanto faz, sempre perco a noção do tempo quando sei que o número de voltas do ponteiro do relógio é diretamente proporcional aos passos que você dá para longe de mim. Se voltar o relógio servisse como um "replay" dos seus passos, ah, meu bem, os ponteiros brincariam de ir e vir aos momentos em que você estava aqui. Mas não é assim, eu sei. Existe toda aquela questão dos erros, dos acertos que não foram suficientes, das interrogações que vão além dos porquês sobre a incapacidade de voltar no tempo e te trazer de volta.
Depois que as coisas passam, a gente enxerga com mais clareza, meus erros hoje pulam na minha frente e faltam-me dedos para contá-los. Os seus? não sei, faço questão de não lembrar. A questão não é quem errou mais, mas sim o que podemos fazer para não errar mais. Continuo cabeça dura, se você quiser saber, ainda acho que querer muito deveria ser poder, porque certas coisas só acontecem se a gente quiser, mas quiser mesmo. Eu quero, amor. Eu quero amor. Eu quero, e você, amor? Atravessar é uma decisão.
Você sempre quis o voo e eu sempre temi a queda; você preferia o improviso e eu seguia todos aqueles planos feitos antes de dormir, mas do que adiantou se, o principal deles, ter você comigo, eu não consegui? Confesso que nunca consegui entrar nesse teu ritmo, só lembro de você dando risada do meu descompasso com mania de perfeição. Nossas diferenças nos tornavam um daqueles casais com histórias divertidas para contar numa roda de amigos, você defendia, parecendo querer tanto quanto eu que não terminasse nunca, que as diferenças fossem um ingrediente a mais. Você sempre me levou à lugares altos demais para mim e eu sempre decidi atravessar o limite dos meus próprios medos. Estar contigo era estar constantemente exposto à riscos, novidades e emoções à mil e eu nunca fugi. Mas o jogo virou, meus planos de repente não pareceram mais tão irreais, a gente precisava decidir enfim para onde ir. Era preciso decidir atravessar ou não. Atravessar é uma decisão - você disse - e eu não estou pronta para tomar.
Atravessar sempre foi nosso verbo de guerra. Desde o início de tudo isso, decidimos que quando tudo ficasse ruim, nós daríamos as mãos e sorriríamos dizendo: vamos atravessar. Atravessar, você dizia, é chegar ao outro lado, vencer uma barreira, um limite, uma multidão de carros. A gente precisa decidir o tempo todo não ficar parado no mesmo lugar e progredir, prosseguir, atravessar. Dizer "vou atravessar" é se proclamar forte, se saber capaz, prometer para si mesmo ir e... ir. Então, onde você está? Qual foi a rua que te assustou? Qual é o semáforo que te impede de atravessar? Qual é a distância que preciso percorrer para ir te buscar?
Hoje pela manhã, abri a janela e prometi atravessar o dia, chegar ao outro lado do relógio com a sensação de vitória. E só falta você. Eu já sei, amor, decidi na primeira vez que te vi, que por você vou para o outro lado - da rua, do país ou do oceano. Vem, amor, sem medo. Abre o bilhete que está embaixo da tua porta, "attraversiamo", como naquele livro que você leu, como na primeira vez que você me disse no seu italiano de uma palavra só. "Attraversiamo", pequena, vamos atravessar, essa fase e todas as outras. Vamos chegar do outro lado cantando, contando histórias sobre nossas diferenças, ensinando aos outros que, mais do que decisão, atravessar é coragem. Vem, amor, o semáforo diz que é a nossa vez, "Attraversiamo".



Oi, gente, o blog voltou a normal - ao que parece - depois de ter sido acusado de possuir um tipo de vírus. Precisei tirar a lista de blogs por precaução, mas prometo voltar assim que essa onda de blogs contaminados passar. Foi um sufoco descobrir o motivo de tudo isso, me desesperei um pouco, mas aqui estamos nós: de volta. Atravessamos essa fase hahaha
Aliás, o post de hoje é inspirado nessa palavra que acho incrível e cheia de significado: "atravessar" e sua versão italiana roubei do livro "Comer Rezar Amar".
PS: Qualquer problema para acessar o blog, qualquer aviso incomum, por favor, me comuniquem.

5 comentários:

Ana Carla disse...

visitando aqui.
lindo blog! (:

http://overdose-de-amor.blogspot.com/

meu mundo real disse...

adorei... como sempre... seus textos são ótimos!!!

Srtª Vihh disse...

atravessar envolve muito, querida, muito de nós, texto bom, viu?
bjOus

Luiza disse...

Incrivelmente lindo! E essa tua inspiração bonita que te ataca e faz textos assim, onde a gente se acha no meio da palavra e descobre que parece ter sido feito pra nós.
Uns tem medo de atravessar, não estão prontos ou até mesmo, não é com a gente que querem fazer a travessia.
Beijos

Ariana disse...

Maravilhosamente incrível flor!
Precisamos atrevessar sempre, que seja uma rua, um problema ou uma situação.Na hora certa sempre sabemos a hora de ir.

Beijos

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...