quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Aperte o play.

Um post regado à músicas boas e outras não tão boas assim, uma tentativa de testar minha memória musical, que só acabou me fazendo descobrir que pouca coisa ficou. O texto é culpa do Carpinejar e da sua crônica "Deixe-me dançar sua vida", da qual eu tomei a liberdade de tirar inspiração. Enfim, apertem o play.


Quando você chegar essa noite, entre sem bater. Coloque o casaco e a bolsa sobre a mesinha de centro, tire os sapatos e vá para perto da janela, permaneça onde a luz da lua possa bater em você e não se assuste ao reconhecer a trilha sonora. Essa noite eu quero dançar a sua vida. Quero me tornar o primeiro e o último amor, estar contigo no primeiro beijo e na primeira decepção. Quero aprender os passos que você deu e me tornar parte do que não pude ser contigo, estar onde não pude estar, conhecer as sensações que você conheceu sem mim. Essa noite o seu passado é meu, apenas encoste em  meu ombro e deixe-me te conduzir por estrofes que você conhece tão bem, deixe-me estender uma rede em cada verso, apenas feche seus olhos e deixa-me te dizer baixinho que tudo nos trouxe para esse ritmo que dançamos ao longo dos nossos dias. Se a vida é uma dança, eu quero recuperar o tempo em que você pertenceu a outro par. Deixe-me tentar. Acomode-se em meus braços e deixe-me pertencer a você desde sempre e para sempre. 
Primeiro vamos à infância, lembra daquela canção de novela, "assim será"? Comecemos por ela. Quero estar nos seus pensamentos quando aquela garotinha cantava em frente ao espelho a letra que já sabia de cor, quero ser o cara de blusa listrada que te fez se atrever a mudar a letra da canção, quero ser o amor que você esperou tanto tempo. Depois, vamos passear por outras. Deixe-me ser o "cara esperto" que perdia a fala e sentia calafrios ao te ter por perto; deixe-me ser a pessoa que te fez sorrir dentro daquele ônibus, olhando a paisagem correr, ao ouvir alguém cantar "seu sorriso é meu", deixe-me ser quem te dá essa certeza. Quero estar naquela noite escura quando "pensando em você" te fez derramar a primeira lágrima por alguém; quando "Quem, além de você" te fez questionar o futuro, deixe-me ser a resposta; quando "Make you feel my love" te fez desejar alguém a quem provar todas essas coisas, quero estar ao teu lado sussurrando que um dia eu estaria aí, aqui, com você. Deixe-me morar em "Conversa de Botas Batidas" pra não te deixar responder errado a questão: nada é maior do que o amor. Abra espaço pra mim naquelas canções que nunca mais foram as mesmas, deixe-me ser o bobo em questão, quem luta com você contra o resto do mundo, a única exceção e razão pra tentar de novo. Deixe-me ser, mais uma vez e sempre, o cara que faz com os outros saibam na fila do pão que você encontrou, o teu último romance, aquele que nunca acabou. Deixe-me te provar que suas canções favoritas estavam certas: o coração nunca mente, a estrada vai além do que se vê, tudo o que o mundo é precisa é amor. Deixe-me cantar baixinho pra você nos dias de chuva, te dizendo pra ir devagar, pra não carregar o mundo em seus ombros, pra não se esconder nem ter vergonha de suas marcas e cicatrizes, acalmando você ao dizer que a madrugada acaba quando a lua se põe e que o sol, ah, querida, o sol sempre volta. Deixe-me estar nas canções que você nem lembra mais, nas notas que te fizeram chorar em casamentos, nas letras que te fizeram gritar arrependimentos, aprendizados e declarações. 
Não importa a época, a razão ou a qualidade: deixe-me estar. Apenas isso. Abra espaço para mim, porque te quero inteira. Perdoe a presunção, amor, perdoe-me por querer invadir teu passado, mas é que presente e futuro com você não me bastam. Te quero por inteiro, com cada passo que você deu, com cada calo que um passo em falso causou, com cada nó na garganta que aquela música te deu. Permita-me dançar tua vida, com as determinadas pausas, refrões que repetiram demais e custaram caro, estrofes que deveriam durar para sempre, mas terminaram. O que doer reviver, apaga em mim. O que der vontade de reviver, reinventa comigo. O que não deu tempo de viver, vive aqui. Faz dessa volta ao passado apenas a confirmação de que estamos no lugar certo, no tempo certo, em braços certos. Porque pra mim não importa o que você traz na sua lata, a bagagem que te acompanha; não importa se mais sentimental do que você não há ou se você não quer mais se entregar. O que importa é que longe de você, eu enlouqueço; que nem 50 nem mil receitas me fariam te esquecer e que algo no seu sorriso me faz querer não te deixar nunca mais.
Essa noite, quando você entrar, aperte o play e deixe começar a fusão entre nossos passados, até que tudo vire o presente e o presente tenha combustível pra se tornar futuro. Essa noite, quando você entrar, aperte o play e venha comigo dançar a canção que não tem fim: aquela que começa quando nossos olhos se encontram e nossos corpos se encaixam. Aperte o play, morena, porque pra nós todo amor do mundo ainda é pouco e porque eu prefiro assim com você: juntinho, sem caber de imaginar o fim.

"Dançamos.
As canções são a memória dela.
Entro nas rimas, hospedo-me em suas impressões, faço cama nos estribilhos.
Vou girando e levando-a para perto."
(Fabrício Carpinejar)

7 comentários:

Ju Fuzetto disse...

Nii, não aguentei e chorei, li por duas vezes e me vi ali, dançando junto ao passado, revivendo amores, aqueles que se quebraram, e depois se foram. É tanto amor.

Ana Flávia Sousa disse...

Nicole, moça do sonho e que nos faz sonhar tanto, tanto!
Eu apertei o play e depois o repeat desta bela melodia que você compôs aqui. As linhas saíram da tela e vieram até aqui, dançar pra mim e comigo! Foi um balé, bolero, salsa, forró e até hip hop! rs
Bonito é aceitar e querer o passado do outro pra nossa vida né? Saber conviver com isso, é uma dádiva!
Queira Deus que algum dia todos aprendemos a viver assim!

aah, beijos.
Vou ali dançar de novo, ops, ler de novo.

Yohana SanFer disse...

ahhh que coisa gostosa de se ler moça...fiquei um tempo sem vir aqui e quando retorno este presente! Esse texto musicado e poético que nos embala do início ao fim! Dá-lhe Los hermanos e Leoni..rs...muito bom! bjs

Luiza disse...

LINDO. Lindo mesmo, achei-o maravilhoso. Que coisa mais linda essa que tu escreveu. As musicas combinando com o texto, as palavras bonitas, tudo pinta um sorriso no olho de quem lê e uma vontade de amar e amar e amar e dançar sem parar. Lindo lindo lindo, parabéns, tu és incrível.
Beijões.

Marie Raya disse...

Nicole, que coisa mais linda. Que intenso, transbordou verdade e sentimento. Faço das palavras das primeiras estrofes, as minhas. Nem tenho muito o que dizer, você já disse tudo por mim. Lindo lindo.

Ariana disse...

Apertei o play e viajei em cada palavra desse texto simplesmente perfeito.
É tão bom amar ne flor, ter com quem dançar,pra quem cantar.
Não tenho palavras que descrevam o que eu senti lendo esse texto.
Parabéns pelo talento que tem com as palavras.

Beijos

Letícia Silva disse...

''Se a vida é uma dança, eu quero recuperar o tempo em que você pertenceu a outro par. Deixe-me tentar. Acomode-se em meus braços e deixe-me pertencer a você desde sempre e para sempre. ''

menina, que coisa linda. precisava ler algo assim, intenso e cheio de amor. fiquei um tempinho sem vir aqui e agora me deparo com algo tão bonito. um bj

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...