sábado, 9 de julho de 2011

Seu recado após o sinal.


- Oi, sou eu. Sim, eu. Ainda reconhece a voz rouca de quem não consegue dormir quando é assaltada pelos pensamentos? Pois é, sou eu. Faz tempo, né? Quantos meses, você conta? Eu fiz questão de deixá-los passar, quem sabe me livrando de contá-los, me livro também de sofrer ao vê-los passar. Não sei se dá certo, provavelmente não, mas tento...

- Antes que você pergunte, não bebi, me sinto mais lúcida do que nunca e a TPM foi embora há dias. Só senti saudade e derramei lágrimas ao lembrar do seu sorriso, não aconteceu nada de mais, nada que me tirasse do meu estado normal. É que de repente dei por mim e percebi o quão exausta todo esse teatro me deixou...

- Passei dias fingindo estar bem, arrisquei rabiscar versos com outra rima, programei minha mente pra seguir em frente e quase atropelei o sentimento. Passei noites listando prós e contras, imaginando se haveria ou não um futuro pra nós dois, me perdendo em suposições e me forçando a acreditar que não dá mais. Mas olha eu aqui...

- Resolvi assumir minha fraqueza. Apaixonada por você? SIM, EU SOU. Perdidamente. Loucamente. Completamente. Em meus pensamentos não há outro, de todos os meus planos é você o que me faz querer continuar, de todas as canções é você o refrão que me faz suspirar. De todos os meus sonhos, foi você o único que aconteceu. De todos que foram embora, você foi o que mais doeu. De todos os que abri mão, você é o único que volta e muda meus pensamentos...

- Eu não quero mais fugir nem inventar desculpas e pretextos pra nossa distância. Não quero negar meu presente com você, alegando não enxergar o futuro. Não quero viver a vida imaginando como teria sido se. 
Não importa se haverá choro, se não vejo futuro ou se tenho medo. Quero mergulhar nesse sentimento e nunca mais emergir, ou apenas se for pra sair do fundo desse mar com a sensação de tê-lo vivido até a última gota. Venha agora e mais uma vez cale meus medos. Me surpreenda, que juntos improvisamos um futuro e eternas reticências onde um dia houve um ponto final...

- Venha, porque sinto falta do que fui com você, de te procurar seus olhos e sorrir feliz ao encontrá-los em mim, meus. Quero, mais uma vez e sempre, caber pequena no teu abraço enorme, inventar surpresas pra te ver sem graça e ficar sem graça depois de suas surpresas. Quero você aqui, por todos os dias e sem passado. Sinto saudade, mas todos pensam que estou bem, me salva desse teatro, me liberta dos meus pensamentos, me arranca dessa rotina sem você...

- É, eu te amo sim (risos), eles disseram pra não te dizer, mas você sabe que não aguento fingir. Eu te amo, eu te amo, eu te amo. Acho que essa é a única frase que mesmo quando repetida mil vezes jamais perde o sentido. Sabe que você foi o primeiro a quem eu disse as três palavras mágicas? Deve ser por isso que não consigo parar ou talvez seja porque é amor demais...

- Já vou desligar, prometo. Eu sei que agora é impossível, que você tá fora da cidade e tudo o mais, mas quando der, vem e me leva contigo para aquele futuro que eu não consigo imaginar de tão bom que será.
Ah, esquece o que eu disse sobre estar lúcida. Estou bêbada, sim. Só estando absolutamente embriagada de amor para, numa madrugada fria, ficar ligando pra sua secretária eletrônica pra dizer coisas de amor. E me perder, a cada início de gravação, decorando cada nuance da sua voz, pra ter certeza de nunca esquecê-la. 

- É, continuo boba. Uma menina que não quer contar que sentou e viu o amor correr, mas que tentou enquanto teve força, era o que você dizia sempre que eu defendia um ato falho de alguma amiga. Você estava certo, eu sabia que algum dia a minha vez ia chegar. Olha, vou desligar, um beijo, te espero. E sei que você vem. O barulho da sua respiração nos recados que desistiu de deixar na minha secretária eletrônica me disseram que você me ama. É recíproco, pode vir.

Escrito em 01/07/11

5 comentários:

Luiza disse...

Que encanto! Impossível não achar um pedaço meu nos seus textos românticos, nem que seja uma peça que foi do meu passado, eu sempre encontro. Acredito que essas crises de amor e de dizer "eu te amo" devem acontecer ainda, porque quando a gente ama e não é pouco, o amor demora pra sair da corrente sanguínea, e a gente fica por dias, meses, embriagada mesmo, de amor. Adorei, como sempre. Beijões

Jaci Macedo disse...

Essas vontades repentinas que nos arrebatam e nos fazem dizer coisas bonitas são as melhores. A gente sempre tem que deixar o outro saber como a gente se sente com ele enquanto ele ainda pode escutar. Hoje em dia é tudo tão efêmero. Se embriagar de amor ainda é quase transbordar e oferecer um pouco disso para o resto da humanidade tão necessitada.

beijos, coração.

Ariana disse...

"Não importa se haverá choro, se não vejo futuro ou se tenho medo. Quero mergulhar nesse sentimento e nunca mais emergir"

Que bom que tu resolveu se entregar, mergulhar nos seus sentimentos.
E espero que seja feliz!
Nem preciso dizer que o texto ficou ótimo e que esta maravilhoso né?


Beijos

Marie Raya disse...

Acho que essa foi a coisa mais linda que eu já li nos últimos dias. Deixei correr umas lágrimas, confesso. E isso é raro hein? haha. Lindo, me lembrei de tantas coisas sobre uma só pessoas. Ah que saudade. Lindo, lindo, lindo demais! Um beijo :*

Louise R. disse...

nossa muito perfeito seu texto, eu adorei, e me identifiquei em alguns pedaços. parabéns *-*
beijo :*

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...