terça-feira, 26 de abril de 2011

Relato sobre uma relação de ódio eterno.

Algumas notas antes de começar: 
1 - Não se emocione ao ler o texto.
2 - Fica proibido usar qualquer uma dessas palavras contra mim.
3 - Eu fui assustadoramente sincera em tudo o que disse, por isso não estranhe a fofura e o amor - no fundo, eu sou assim.
4 - O tamanho é grande porque é a única vez que serei fofa contigo, anota isso aí.


5 -Seu idiota, boboca, peido, eu te odeio.

Eu começaria esse texto com alguma "ofensa", mas sou legal demais pra começar assim. A questão que importa é: você não faz meu texto, mas eu faço o seu. (Pegue o seu "A ladra" e mande para o lugar encantado onde está aquela borracha rosa neste momento!) Aqui estão, palavras meio bestas, mas verdadeiras. Coisas que a gente só diz uma vez na vida porque no restante do tempo estamos ocupados demais sendo idiotas, contando piadas, trocando xingamentos da boca pra fora. E, se me permites dizer: Eu te odeio! Odeio a sua mania de ser irônico a cada respiração e não enxergar que às vezes os outros podem ter razão. Odeio suas piadas de mau gosto, seu time, seus cálculos, sua letra e, principalmente, a burrice do seu coração. E é aqui o lugar onde todos os seus adjetivos se encaixam: BOBOCA, PEIDÃO, e, sobretudo, TROUXA, TROUXA, TROUXA. Como pode alguém se entregar tanto à todas as paixões que a vida coloca à sua frente? Como pode alguém não questionar, não racionalizar, não ver que daqui à pouco tudo acaba, as palavras mudam, os pensamentos também? Como? Sendo Felipe. Enxergando possibilidade de eternidade no fugaz, facilidade onde a outra parte só vê complicação, ingenuidade onde o mundo há muito tempo não a vê mais. Talvez eu também seja meio Felipe e te odeie por isso, e você, por odiar esse teu lado, odeie também a mim. Eu odeio essa sua determinação quando bem sabes que não dará certo, quando todas as placas sinalizam o caminho oposto pra você, quando eu grito berro ordeno que de uma vez você dê meia volta. Mas suas experiências só confirmam o quanto você sempre desprezou todos os meus conselhos e alertas, visto o senhor cabeça dura que sempre fostes, e isso só prova que você quando cisma que quer, saiam todos de baixo, porque acima das nuvens, completamente fora do chão, voa um pássaro que só sossega quando encontra lugar no ninho que decidiu mirar. Se aprovo esse seu comportamento? não sei, mas disseram por aí que a determinação é um dos fatores que nos fazem ganhar o mundo e, disso, você entende. Não de ganhar o mundo, mas de determinação. Ou talvez de ganhar o mundo também, afinal, como explicar a súbita atração que você provoca em todas as mães desse Brasil? As levando a pensar que o mundo deveria ser composto por Felipes: que sabem matemática, física e ainda por cima escrevem; que tocam teclado, violão, guitarra, harpa, bandolim, tambor; que são compromissados com a  igreja; que fazem correndo o que ordena a voz de uma - tia - mulher; e ainda por cima querem ser engenheiros. Mas se fosse o mundo de Felipes, eu não sobreviveria, visto que um já me exige paciência, palavras, sorrisos e, confesso, admiração que quase não cabem mais em mim. 
Talvez você espere que a próxima confissão seja a de que és o meu BFF, mas não se iluda: não és. Mas não se deprima: és mais do que isso. Se existem amigos mais chegados do que irmãos, você, felipe, é a prova deles. Você é meu irmão. Aquele tipo implicante, mais chato que a palavra chato consegue passar, que me bate, me xinga, mas que no fundo me ama. O cara com quem invento maluquices, piadas internas, infantilidades que me ajudam a sorrir. O bebezão que vem contar sobre os casos - desastrosos - amorosos, as sagas familiares, as aventuras dos três mosqueteiros: piu-piu, gleydsom e diogo. Um amigo que é amigo sem precisar receber títulos de honra ou me fazer sentir merecedora de um. Você é Felipe e eu sou Nicole. Amigos apenas. Sem o peso de sermos melhores, sem a responsabilidade de honrar os adjetivos, sem a normalidade que algumas amizades cismam em exigir. Somos só dois bobocas, peidões, imbecis, e, vou me incluir pra não te deixar sozinho nesse barco, trouxas que se odeiam, mas que encontraram no ódio um grande abrigo pra uma amizade acontecer. Ao contrário do que você se iluda todos os dias: eu não quero ser sua BFF - até porque sua relação com esse título não é muito normal, e nem que você seja o meu, contanto que tudo continue dessa forma pra nós. Contanto que sejamos sempre essas duas crianças idiotas que se batem, se xingam e riem juntos da própria desgraça - vide nossas vidas amorosas - pra no momento seguinte se confortarem com algumas palavras de incentivo que entram por um ouvido e saem pelo outro - cabeça dura que somos. No fundo, você me ama. E, no fundo, eu te amo também. Ainda que você queira distância disso que chamam de amor e bata orgulhoso no peito segurando a bandeira do "eu não amo mais", você ama sim. E, me permita dizer, se você não amar, você deixa de existir, seu carma é ser assim, sorria e aceite.
Sabe, com toda essa baboseira sentimental, eu só quero chegar ao ponto em que agradeço. Por todas as nossas piadas terrivelmente idiotas e tantas vezes malvadas. Pelos personagens que inventamos - a Hebe, o seu bróder da biblioteca digital, o seu professor favorito, as coleguinhas, o cotista, os seus "amores", os seus "adversários" da música do mamonas assassinas, as suas tias, os seus amigos e todos os outros que não cabem aqui. Obrigada pela confiança que você tem em mim, por me procurar pra contar desde a sua mais nova piada ao seu mais novo caso amoroso. Obrigada pelos infinitos e infinitos e infinitos risos. Obrigada pelas vezes em que você transformou o motivo do meu choro em piadas e me ajudou a sorrir. Obrigada pela sua ajuda, pelo seu companheirismo, por ter andado do meu lado. Obrigada por ter tantas e tantas vezes me salvado em física, matemática, desenho e biologia e por não ter desistido de mim quando eu dizia: "Olha, a pergunta é idiota, mas eu vou fazer". Obrigada por ter me dado a opção de não te amar, ainda que eu não consiga escolhê-la.
É, porque eu te amo mesmo e tudo o que eu quero é que você seja absurdamente feliz. E que me leve contigo por onde você for. Me convide pra sorrir contigo, chorar contigo, comemorar contigo. Me procure pra contar sobre suas novas investidas, seus novos voos, seus novos alcances. Quero ver de perto o seu sucesso, em todas as áreas possíveis, pra poder olhar pra trás e rir junto contigo de todas essas besteiras e decepções que há pouco tempo pareceram ser o fim do mundo. Vou conhecer sua esposa e dizer pra ela todas as baboseiras que você mencionou um dia, vou no aniversário dos seus filhos e incentivá-los a não ser de exatas e flamenguistas como o pai, vou tocar tua campainha todos os dias possíveis pra cobrar minha mesada, afinal, engenheiro tem dinheiro e vou bater a porta "di cum força" se você se recusar.
Tudo de bom, passarinho carente, que você encontre seu ninho e um coração que possa te amar com toda essa entrega que você oferece. E, lembre-se, se der errado uma vez, tente outra. Se precisar de alguém pra conversar, tô aqui, você sabe, desrespeite com minha autorização o status do meu msn. Acredite em cada sentença da frase: Eu vou estar sempre aqui. Vou mesmo.
Por fim, pequena ave, felipe, piupiu, irmão, guarda isso porque é momento raro: Eu amo você. E não ouse usar minhas palavras contra mim quando, um dia, eu jogar na tua cara que te odeio. Eu te odeio, mas também te amo. E, se o ódio é o caminho mais curto pro amor, você, felipe, é o caminho mais curto, praquilo que um dia disseram ser amizade verdadeira.

6 comentários:

Felipe Aguiar disse...

E é sim, tudo recíproco. Principalmente a parte do "Eu te odeio". Hahaha.
Deu uma saudade da época das piadas e idiotices e xingamentos (muitos) de cada dia. :')
IRMÃOS, haha, até parece... (Hahahahaha, até salvei no computador caso um dia você apague. AGORA EU TENHO PROVAS DE QUE VOCÊ ME AMA! >:D MUHAHAHAHAHA)

juliana alves disse...

;D

juliana alves disse...

viva la vidaa!

Gabriela Freitas disse...

own!

Luiza disse...

Tu é uma meiga mesmo, sabia né? Tomara que você nunca mude isso, mesmo. Acho super fofos esses textos pros seus amigos, e gosto de ver que você tem amizades verdadeiras, tão raras hoje em dia. Uma pessoa como você, merece. Beijão

Jussara Costa disse...

Que as palavras sejam ditas, e sentimentos expressos, que o desabafo não seja em vão, e que seja de coração.
Ps: Jc
Bjos Otimo texto!

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...