quarta-feira, 6 de abril de 2011

Previsível.


Atrás dessas lentes grossas, além desses livros, dessa pose, dessa menina que todos os dias, no horário de sempre, entra por aquela porta, faz o mesmo pedido e senta no mesmo lugar, o que existe? Já sei que estudas na universidade do bairro, vi naquele dia em que sua agenda caiu; sei que você lê Clarice, Caio, Martha e Tati, devido aos inúmeros livros que lês, sublinhas e rabiscas, sentada naquela mesa no canto, mordendo os lábios ao destacar um texto, sorrindo ao se encaixar no texto, fechando os olhos a sonhar com o texto. Sei que ouves Los Hermanos, te ouvi cantarolar um dia desses aquela canção que pergunta em meio ao desespero "quem é mais sentimental que eu", pela forma como cantavas, posso acreditar que essa é realmente mais uma de suas dúvidas? Sei das suas dúvidas mais banais, daquelas entre o  pão de queijo e o crossaint e a coca e o café, mas tudo o que eu queria era te ouvir dizer sobre o que ninguém sabe, sobre o que só você e esse seu eu perturbador ousaram questionar. Te observo todos os dias ao entrar, sorrir para o dono da loja e cumprir fielmente o seu ritual. Previsível demais pra alguém que tem o olhar tão imprevisível como o seu. Talvez essa organização entre as quatro paredes dessa lanchonete, essa sequência perfeita na ordem dos fatos, essa simetria de movimentos, seja uma espécia de fuga, como se a sua vida lá fora - ou aí dentro - fosse corrida e inconstante demais e não desse para controlá-la, como fazes aqui. Talvez aqui seja o seu repouso e tenho medo de quebrar a ordem que criaste por esse motivo que seus olhos escondidos por trás dessa lente nunca ousaram me contar. Mas tenho vontade de interromper seus movimentos perfeitos e perguntar se há espaço pra mim nessa sua rotina, se posso deixar de ser o figurante da mesa ao lado e passar a ser o mocinho da cena que começa a acontecer toda vez que seu perfume preenche o ar. E aí está mais uma coisa que sei sobre você: és doce, como o seu perfume.
Você não sabe nada de mim e talvez nunca tenha percebido esse cara estranho que não só te percebe, como te . Você não sabe sobre meus gostos, minhas dúvidas, meus sorrisos, mas eu não canso de pensar que passaria dias inteiros te fazendo saber. Você não sabe, mas procurei pelo amor  em todas as esquinas, curvas e encruzilhadas dessa vida. Vasculhei cada canto escondido e quando desisti de procurar, te olhei naquela mesa do canto, no único canto que não procurei. Seja paixão, amor, ou qualquer outra coisa que a gente não sabe nomear nem definir, só sei que é algo que acontece à primeira vista e que continua a acontecer por todas as outras seguintes. Você faz desse lugar sua fuga e eu faço de você a minha, pensando sempre que poderíamos unir nossas fugas e formar um encontro. Posso quebrar sua rotina? Inserir novas cores, novos ares e roteiros? Me diz que essa mesmice te incomoda, que essa falta de ação te sufoca e que o previsível é apenas um disfarce do que você não mostra pra ninguém. Amanhã, quando você chegar e de repente me ver na sua mesa, não mude de lugar. Sente-se ali, como todos os dias, que eu faço de conta que sempre estive  lá. Me dá da tua ordem que eu te dou do meu caos, não prometo o previsível, porque ao amor não cabe essa palavra. Mas te garanto, meu bem, surpresas e sonhos a mais no desenho dos teus dias. Previsível aqui, só o meu encantamento, nada mais.


Queridos, perdoem a ausência e os textos que ultimamente são tão raros, pouco verdadeiros, clichês demais e quase sem sentimento, mas nesse momento é a única coisa que ouso escrever e postar, o restante fica no rascunho e não sai de lá. Vou me esforçar ao máximo para não deixar isso aqui morrer e para não abandonar vocês, tô voltando pra cá, vou passando nos blogs de vocês aos poucos, me esperem e, por favor, não me esqueçam.

8 comentários:

laura b. disse...

ainda que você ache seu texto clichê, sem sentimento e etc, estaremos sempre rendendo nossos olhos a ele, escantados.
foi sim, só mais um dos seus textos, mas é lindo, lindo. (:

Ananda disse...

De fato nunca parei pra ler nenhum texto teu, mas esse me atraiu e me chamou atenção. Gostei muito da forma como escreves e garanto te acompanhar;..
beijos meus

Ana disse...

Bonito

Camila Paier disse...

Olá, amada! Tudo tri? Então, acabei de ler - aprovar - teu comentário lá no Calmila. Estás sim, autorizada a postar o "Que ainda não passou". Adorável teu blog, impossível negar o pedido! E escreves bem ainda, hein. Adorei, adorei mesmo.
Mande pro meu e-mail o seu, ou um oi, que te envio o texto direitinho (e a imagem, se quiser também) por lá. Beijo beijo!

Ju Fuzetto disse...

O amor não é clichê. Tuas palavras percorrem cada centimentro do meu coração. Encantada. Sim quando te leio.

Um beijo flor

Bruna Frisso disse...

Olha sempre visito o seu Blog e posso afirmar que eu nunca vi ninguém expressar tão bem o que sente, o que pensa ou o que sonha! Seria uma honra se você pudesse dar uma passada lá no meu Blog, nem que seja para deixar uma simples opinião, rs. Beeijos e Parabéns.

vell disse...

Eu sempre amo os textos, são tão bem escritos, tão cheios de sentimentos, de verdade.

Beijos

Luiza disse...

"Você faz desse lugar sua fuga e eu faço de você a minha, pensando sempre que poderíamos unir nossas fugas e formar um encontro."
QUE LINDO!Sério. Já te disse que adoro quando você pega a fala do homem.
Se o amor tá indo, entenda que ele precisa ser regado, e não com lágrimas suas e sim com ações do outro. Coisas novas chegam em um coração que se desocupa, boa sorte moça, ao tomar seu café, lendo e ouvindo Los Hermanos. E mais sentimental que você? Eu.
Beijão

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...