sexta-feira, 15 de abril de 2011

(É)ra amor.


De todos os amores nunca usados que tive, você foi o mais real. O único que me fez perder noites e ganhar dias pensando em táticas de aproximação. O único que me fez sentir verdadeiramente apaixonado, como se nada mais importasse no mundo além do fato de você existir. O único que me fez comparar formas de sorrir, ganhando disparado na disputa pelo sorriso que era capaz de iluminar a maior parte dos meus dias. O prêmio era o meu coração, e esse sempre foi teu. Desde aquele dia, naquela escada, quando sua voz disse meu nome e eu olhei, sem saber que na verdade você chamava o outro. Se soubesse da armadilha que me esperava, não teria olhado - embora continue a pensar que a qualquer momento seus olhos acabariam me capturando. Você me teve durante todos aqueles dias de todos aqueles anos. Era amor, sim, mas eu não soube te dizer.Era amor aquele repertório de piadas ensaiadas pra quando fosse a hora de ter tua atenção. Era amor quando, debaixo daquela escada escura, todos os outros sumiam e eu só via você. Quando os outros tinham sua atenção e eu jogava frases pra te pescar de volta, quando eu, sorrindo, te avisei que o cara que estava dando em cima de você há dias havia desistido, quando eu disfarcei e esperei que você saísse pra poder te acompanhar: amor, amor, amor. Era amor, sim, todos estavam certos. E continuou sendo amor por tantos outros anos.
Naquele dia em que te encontrei e te disse depois que não imaginava do que você fosse capaz, eu estava sendo sincero: eu nunca imaginei que esse amor fosse durar tanto, que resistiria ao tempo e a distância. Por isso corri e tentei recuperar o tempo que havíamos perdido e resolvi me mostrar, te dizer nas entrelinhas que te amava, quando você se fazia de boba e levava tudo à tecla da amizade. Você nunca acreditou quando eu disse que o que mais queria era estar contigo, nunca acreditou que eras sim a pessoa que mais importava, nunca acreditou numa só palavra que fosse. Você se martirizou por sentir algo que sabia que não daria certo, se culpou por ter deixado um sentimento que você não conhecia tomar conta do sentido, jogou no lixo o que nunca sequer começara. Não te culpo por isso, a culpa foi minha, eu não soube te prender, não soube arriscar, não soube cumprir o que há muito tempo prometera: te devo um jantar e você me deve uma história de amor concretizado. Saiba que o amor estava em cada uma daquelas palavras tão bem escolhidas que surgiam sem que você ao menos esperasse. Só palavras, eu sei, faltou coragem pra te provar que as ações condiziam com todas elas. 
Hoje eu lembrei de você, como vem sendo durante todos esses anos. Lembrei da gente e reli tudo o que foi dito. Ah, o amor, era ele mesmo. E agora é só falta, uma saudade sufocante, um desejo de fazer seu telefone - aquele que eu nunca pedi - tocar. A vontade é de te chamar pra andar por aí, de te ver chegar e correr ao teu encontro como naquelas fotos e só dizer que era tudo verdade. Que sim, eu nunca amei ninguém dessa forma, eu nunca conheci alguém tão incrível, eu nunca desejei estar tanto num lugar como quis estar ao teu lado. Não como aquele amigo que você jurava ter muita sorte por ter encontrado, eu sempre quis mais. Mais do que aquele que te lembra o quanto você é especial e diferente de todas aquelas garotas lá fora, eu quis ser aquele que te prova isso. Eu tive medo de querer tanto mais e acabar tendo nada, eu preferi ser seu amigo do que ser apenas uma lembrança escura de alguém que foi mais um do time dos "apaixonados por você". Só que agora você está longe e eu nem sei mais se pensas em mim. Me recuso a acreditar que tenhamos nos perdido um do outro, tenho medo do "nunca mais você". 
Só me diz: se eu te chamasse hoje, pra olhar o céu comigo, pra conversar sobre tudo e sobre nada, você viria? Mesmo que o seu coração tenha outro dono e a porta esteja trancada pra um amor de infância, como eu corro o risco de ser rotulado, você viria? Eu ainda preciso saber se sou importante pra você, se você ainda sente minha falta e se realmente lembra de mim quando passa por aqueles lugares. Preciso te encontrar pra corrigir um erro na conjugação do verbo: não era amor, como essa distância te faz acreditar: é amor. Há chance de ser real dessa vez? Me liberta do sonho, vem?

16 comentários:

Evelyn Colaço . disse...

Que coisa mais gostosa de se ler. Que amor mais suave e verdadeiro. Ah ...

''Me recuso a acreditar que tenhamos nos perdido um do outro, tenho medo do "nunca mais você".
Só me diz: se eu te chamasse hoje, pra olhar o céu comigo, pra conversar sobre tudo e sobre nada, você viria?''

Vai, o céu está tão bonito e estrelado essa noite.

Beijos de tua leitora

Camila disse...

Sei bem como é resistir ao tempo e a distancia.

Naia Mello disse...

Gostar de uma pessoa alimenta nossos desejos. Dá aquela nostalgia.

joao disse...

no fundo vc quer a concretizaçao do sonho mas nao sei pq nao consegue fazer de verdade, ai vai uma opiniao masculina, faz acontecer seus desejos ou se nao vai se arrepender de nunca tentar, quando tentar seja firme e segura,se precisar de ajuda tem uma constelaçao inteira e um sonhador pra apoiar rs falow

carlos massari disse...

esse eu-lírico masculino é interessante pra se ler quando se é um homem. achei bonito, e é o tipo de coisa na qual eu até queria acreditar que existe, apesar de não parecer uma tarefa nada fácil.
mas deixa eu dizer, guardar uma intensidade dessas dentro de você é um negócio muito, muito errado.

Natália disse...

Nunca esquecemos do mais intenso. beijo

Luiza disse...

Moça do sonho, a cada texto, você arromba mais e mais o meu coração. Hoje, me trouxe uma saudade cretina, porque histórias de amigos, sempre me lembram o meu ex. Mas você deixa tudo muito bonito, e eu leio sorrindo, te aplaudindo, na verdade. Talvez não exista essa história de era amor, porque sempre vai ser amor, só que ele muda, perde as forças, mas segue sendo. Um beijão♥

Amanda - disse...

Me vejo em cada pedaço do seu texto, me sinto em cada palavra sua escrita.. Ai Nicole, como é difícil. Parece que tiram um pedaço da gente, e mesmo assim nos permitimos a continuar amando, e não tirar esse amor da gente. Continuamos a levar a crença que um amor desse tamanho é sempre válido, e sempre tem que ser aproveitado. Como que faz pra curar essa saudade? Pra recuperar o cheiro, o beijo, o toque? Nada se faz, apenas se conforma. O sentimento continua intacto, sufocante, mas conformado.

Yohana SanFer disse...

Lindo é vir aqui e sempre ter a certeza de que terei boa leitura...cheia de sentimento e leveza! Gostei do texto, amor que aravessa o tempo e pede pra se concretizar...bjs moça!

Ariana disse...

Linda história flor, e na verdade é sempre assim, quando não assumimos o que sentimos, não declaramos, corremos o risco de 'perder' pra sempre a pessoa e ficar vivendo de lembranças.

A cada dia que passa me encanto mais com seus textos.

Beijos

Jussara Costa disse...

essas palvras me completa, tudo que ja senti, PARABÉNS , seguiindo com prazeer <3

Gio disse...

Saudade dos seus tetos que me faz acreditar que um dia eu realmente vou encontrar um amor verdadeiro. E juntos realizar todos os nossos sonhos. Seus textos me fazem sonhar

Emi Rezende disse...

Nic, mais um texto maravilhoso, mais um pouquinho de uma história que emociona até a minha alma. Seus textos sempre me fazem refletir sobre meus próprios sentimentos. Quando venho aqui e leio suas palavras, algo me faz ter mais vontade de valorizar e aproveitar cada segundo do sentimento mais lindo e contraditório do mundo; o amor. É difícil de explicar, mas creio que todos pensem assim: esse blog é especial. Ele tem verdade, profundidade, fragmentos de cada um que vem aqui, seja no passado ou no presente.
Sério, dona Nic, prometo que ainda vou tentar explicar o impacto positivo dos seus textos em mim. Mesmo com pontadinhas de tristeza, vejo neles uma magia impressionante, diferente.
Parabéns, moça do sonho.
Que você escreva sempre mais, mais e mais.
Beijos!

Jéssica Costa disse...

Me identifiquei com seu texto e nossa, de onde você tirou tanta sensibilidade para escrever sobre isso? Realmente é díficil, a duvida tortura nosso coração, mas um dia você vai encontrar a resposta. Já estou seguindo aqui, e se tiver tempo, dá uma olhada no meu blog. Beijo e boa páscoa. http://estousemcriatividadenomomento.blogspot.com/

Súu disse...

'Me recuso a acreditar que tenhamos nos perdido um do outro'

Por que é tão dificil aceitar as vezes? Me pergunto isso todos os dias :s

Lindo texto (:

Feliz Páscoa!

beijos

Gabriela Freitas disse...

lindo, intenso, profundo.
Por aqui vou ficar, me permite? rs
Muito bom o blog.

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...