quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A viajante.


De novo, a hora chegou. Você adiou enquanto pôde. Escondeu a passagem no fundo falso da gaveta, deixou a mala onde não era possível vê-la, fez de conta que tudo seria o mesmo quando os relógios do tempo completassem a volta. Mas a hora está cada vez mais próxima e o fim da estrada há algum tempo aponta na linha do horizonte. Você já pode vê-lo, quase tocá-lo, completamente sentí-lo. As suas malas já estão cheias, o álbum de retratos repleto de rostos conhecidos, a viagem tem data marcada. É hora de deixar a cidade. De ir habitar em outro lugar que ainda não se sabe. Uma cidade nova inteirinha pra você, novos sonhos, novos rostos no álbum, novas histórias, novas coisas a aprender. Vai ser bom respirar ar puro e novo. Os olhos gostarão de observar uma nova paisagem, procurar novos abrigos, encontrar novos rumos. Os ares de uma nova cidade sempre nos impulsionam a correr, a buscar o melhor, a descobrir de uma vez todas as ofertas. O novo é bom, mas ainda não te pertence. O velho é teu. E é dele de quem você se despedirá em breve. Fará falta a rotina, as vozes conhecidas, os rostos inconfundíveis. É difícil deixar uma cidade onde os vínculos foram formados a base de muita união, onde tudo foi verdadeiro e intenso: as lágrimas, os sorrisos, os gritos. É difícil aceitar ir, é impossível não olhar pra trás, é inevitável precisar partir. Mas a vida é feita de partidas e chegadas, acostume-se. Nessa sua nova jornada, leve isso como lição: estamos todos partindo o tempo todo. Os lugares não são pra sempre, são apenas estações. Onde paramos pra esvaziar a mala, colocar coisas novas, descobrir a próxima parada. Não se assuste com os ponteiros que não param. Não se assuste com as pessoas que vão, porque além delas, existem aquelas que ficam. Os lugares não são pra sempre, mas as pessoas que importam são.
Do passado, do lugar que fica pra trás, leve apenas o que for bom. Carregue com você aquele vento e aquela velha sensação de noite chegando. Grave todas as cores, todos os cantos e quinas que têm história, todas as risadas que um dia ao ecoarem te fizeram se sentir em casa. Não se assuste se um dia a bagagem estiver leve demais e parecer ter havido esquecimento; não é nada disso, acontece que certas lembranças impregnam na gente e viram uma parte de nós, ficam conosco em tudo o que somos, às vezes adormecem, é verdade, mas logo um cheiro, um som, uma imagem, a fazem acordar e você as sabe presentes.
Devo dizer que a saudade será sua companhia diária e que aquela lágrima solitária que cai sem som algum, é só o coração querendo estar perto, querendo estar junto, querendo estar pra sempre onde esteve um dia. Não tenha medo do futuro, ele em breve chegará e cobrará de você coragem. Pra se arriscar no incerto. Se atirar sem cinto de segurança no que há pra ser descoberto. Haverá gente nova. Haverá sorriso, choro, grito, dor. Haverá todos esses ingredientes que fazem a vida ser o que é. Não tema. Vá com tudo o que és. Torne-se o que você sonhou. Conheça aquele tipo de gente que faz seu coração vibrar. Ame o novo, mas não abandone o velho. Reveja sempre os cartões-postais da sua antiga cidade, mantenha contato, mostre se importar com o que aconteceu e se orgulhar de tudo o que fostes. Dance feito bailarina, com pés suaves e sem pressa, todas as músicas tocadas pela vida, especialmente aquelas que te fizerem sorrir. Você, viajante, tem um mundo inteiro pela frente e todos esses sonhos sonhados antes de dormir são sinais importantes sobre o que deves fazer, não os abandone, não deixe que digam ser impossível. Lute. Por cada um deles. E se algum deles se perder pelo caminho, um novo sonho cairá de para-quedas no teu coração.
Boa Viagem.

Escrito em 17/11/10, em época de término do colégio e incerteza sobre o futuro.

3 comentários:

Helen Karoline disse...

Não fale que isso é um rascunho, isso é uma obra-prima. Tá perfeito *-*
Me identifiquei muito com o texto, deve ser pelo fato de estar no último ano do colégio e o futuro tá insistindo em bater a minha porta, mesmo que eu não queria abri-lá hihi.
Mas enfim, tá perfeito o texto *--*
Beijos Nick :*

joao disse...

moça, não fique procurando o seu futuro, tenta viver o presente

"Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve."(Shakespeare)

Karine Lima disse...

Oi, adorei teu blog!
Tá ótimo!!! To seguindo aqui,
visita o meu e se gostar siga!
beijo.

http://livreelouca.blogspot.com/

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...