quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Love song for no one.


"I'll hide in my bedroom
Staying up all night just to write
A love song for no one"

É madrugada de um dia que eu não sei qual é. Sentada em frente à janela vejo as gotas de chuva começarem a cair e no fundo John Mayer canta sua love song for no one. E eu aqui, perdida em pensamentos, me pergunto onde você estará, imerso em qual mundo, vigiado por quais vistas? Te escrevo canções, poesias e parágrafos inteiros, mas por fim não sei quem és, só sei que existes. Em alguma esquina da minha vida, em algum parêntese sabiamente colocado, em alguma interrogação a ser respondida com a sua presença. Por aqui te chamam de chinelo velho, tampa da panela, metade da laranja. E se quiser saber, de todos esses rótulos o que mais combina contigo é o de chinelo velho. Porque o meu pé está cansado que só. Corremos tanto por esse mundo, às vezes em círculo, outras em linha reta, e na maioria subindo altas montanhas onde fazia frio e o vento era quase insuportável. Se houvesse uma regra que ditasse que a velhice do chinelo tivesse que ser diretamente proporcional ao cansaço do pé, sua idade beiraria o infinito. Mas não se assuste, embora cansado, meu pé tem forças, meu coração tem sede de mais, minha vida anseia por motivos que me façam correr, saltar montes, escalar montanhas. Só que não hoje. Se você chegasse hoje, exatamente à essa hora que o relógio marca, nessa mesma estação em que nos encontramos, teria um trabalho dos grandes. O meu jardim está cheio de ervas daninhas, fantasmas e monstros cercam meu castelo e ando cansada de impor minha presença. Só sinto vontade de ficar assim, quietinha olhando a janela, com o telefone do lado, a caixa de e-mail aberta, o olho no carteiro que passa todo dia, preciso agora que me encontrem. Que a minha presença, um dia tão imposta, seja procurada. Que a minha ausência seja sentida. Que o meu valor seja descoberto. Você saberá o certo a se fazer. Você terá um braço que não cansará, ombros que sobrem num abraço pra que eu possa explorá-lo sem sobrecarregar nenhum lado, voz que não fique rouca. Não espero perfeição porque serás meu e o perfeito sempre me assustou. Não quero ter medo de te tocar e vê-lo quebrando em mil pedacinhos, não quero me sentir menor ao te olhar, não quero nem o vislumbre da perfeição. Quero você imperfeito. Com todos os defeitos que mantêm teu edifício de pé. Com todas as manias que o fazem ter nascido pra mim. Com todas as cores que fazem o teu chinelo ser perfeito pra estação em que vive o meu pé. Venha a seu tempo e me encontre aqui. No ponto de partida. Vem e me leva embora dessa falta de vida. Descobriremos nossos caminhos e sararemos nossas dores. Me leva até o lugar onde se esconde o pra sempre, onde pra cada gota de lágrima há uma cachoeira de sorrisos, onde o amor acontece acima de qualquer obstáculo. Deve haver um lugar onde as pessoas ainda acreditam, onde o sentimento ainda consegue vencer, onde, mesmo lotadas, há espaço nas agendas para o amor. Pra que você não se assuste, faço questão de avisar: sou feita de amor. Meu sangue deve ter pequenos glóbulos em formato de coração, meus balões de pensamento são de algodão doce, minha fé em contos de fadas permanece intacta apesar dos baques da vida. De fato, ao me encontrar, você terá um peso enorme nos seus ombros: meus sonhos. Mas deles você saberá cuidar. O chinelo velho pro meu pé cansado, mesmo que inconscientemente, foi jogado no mundo com essa missão. E deve ter uma porção de sonhos, uma boa dose de palavras bonitas e músicas de amor, reservadas pra mim. Mas por hoje, enquanto ele não vem, ouço mais uma vez aquela canção, danço sozinha pelo quarto, descanso a minha presença. Me limpo por dentro enquanto ele não vem. Me conheço, me defino, me valorizo enquanto ele não vem. E espero por ele, enquanto ele não vem.

"I'm tired of being alone
So hurry up and get here
So tired of being alone
So hurry up and get here
You'll be so good for me"
(John Mayer)

14 comentários:

Chris Ribeiro disse...

Texto perfeito, trenzim!
Bjim.

@ChrisRibeiro

@juusep disse...

Eu ainda acredito que pode haver, e que há onde o amor prevalece. John Mayer é o que há! *-*

Naia Mello disse...

talvez ele nunca venha. Mas o mais importante é que quando você se vê por inteira nem vai perceber que ele chegou na sua vida...

Ariana disse...

Texto muito perfeito, nem sei o que te dizer, fiquei sem palavras.
Parabéns, tu escreve bem demais!

Beijos

Luana Conti disse...

O que?? Menina, olha, fiquei muito feliz com seu comentário...Mas você sim que é fantástica, olha isso:

"Te escrevo canções, poesias e parágrafos inteiros, mas por fim não sei quem és (...) Só que não hoje. Se você chegasse hoje, exatamente à essa hora que o relógio marca, nessa mesma estação em que nos encontramos, teria um trabalho dos grandes. O meu jardim está cheio de ervas daninhas, fantasmas e monstros cercam meu castelo e ando cansada de impor minha presença. (...) Me leva até o lugar onde se esconde o pra sempre"


Gente! Você é linda! Sabe? Entende o que eu digo?
MUITO sucesso! Ainda quero pegar você nas mãos, em formato de livro!

com carinho,
L.

Anônimo disse...

tenho quase certeza q o unico dia q choveu foi ontem a noite...
enfim
legal gostei mas chinelo velho é sacanagem
tinha outro nao rsrs
tenhu certeza q sua presença faz falta pra muita gente
bjsXDXDXDDXDXDXDXXDXDXDXDXDXXXDXDXDXD
PS:a proposito ak qm fala é o joao

Brunno Lopez disse...

O eterno dilema. Esperar, ir atrás. Odiar ou amar a chuva, sair no sol, procurar, se esconder.

Texto denso, mas bem escrito e interessante.

Vou seguir.

Camila Paier disse...

Como é desdenhosa e retirante essa vontade do que nem sabemos onde reside. De quem, ao menos, nem conhecemos. Vi seu comentário lá no Calmila. Gostei bastante, me tocou, sabe. Fico bastante contente ao ler esse tipo de elogio, tão único. Espero mesmo que meu livro seja lançado logo.
Quanto ao teu texto, sem muitas palavras. Como disse o Brunno, denso. Dá pra te sentir, e isso é o essencial. Que te chegue essa pessoa, sem demoras e esperas longínquas.
Um beijo!

Mel disse...

De uma intensidade sentida por poucos. Só quem sabe do que você está falando, só quem sente o que você quer expressar, sabe ver a grandeza desse texto. Parabéns, você escreve muito bem. :)

Drika Castro disse...

Olá, sou do amiga de clarice, vim responder seu comentário e me surpreendi, tu escreves muito bem. Adorei o texto, sei exatamente como é isso.
Parabéns e obrigada =)

Luiza disse...

como eu não vou me encontrar nas suas palavras? impossível. sempre fico boba, tenho que te confessar que sempre que posto, fico esperando você ler, pra saber da sua opinião, tão importante pra mim. eu leio o que você escreve e penso: nossa, ela sente como eu. e meus dias andam confusos e meio feios, mas espero que os nosso dias fiquem bonitos logo, que alguém chegue.

Júnior Morais disse...

Tem um selo pra tu no meu blog, espero que goste.

Baaah disse...

Estou de passagem rápida por isso ainda não li o texto.
É só para avisar que tem selo para você lá no blog.
=))

Beijooos.

Ju Fuzetto disse...

Minha flor de liz.

Essa procura que vai deixando rastros, pegadas simetricamente alinhadas no peito que ainda tem alguma esperança. Estar só, é caminhar na ternura de teus próprios braços. Um dia ele vem. sempre vem.

Um beijo

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...