sábado, 30 de outubro de 2010

Mil Trezentos e Cinco!


Vou falar de amor, de amizade, de união. Vou falar sobre aprender a conviver com as diferenças, sobre somar 2106 + 2104 + 2102 + 1201 e resultar 1305. Não vou falar sobre o pré-conceito que carregávamos no início nem sobre os maus olhares com que tantas vezes nos olharam, nada disso importa. Vou falar sobre ralé, sobre não ser o melhor e ainda assim o ser, sobre transformar pedras em flores. Vou falar sobre a turma mais unida e mais divertida que já existiu. Vou falar de vocês, 1305. Tivemos muito medo no início, achávamos que não fosse dar certo e que tanta gente bagunceira junto só poderia dar confusão. E talvez tenha dado mesmo, mas foi uma confusão boa, sabe? Foi uma porção de aulas divertidas, de piadas internas, de mal entendidos consertados. Às vezes grito que amo vocês e muita gente não entende, acho que é uma questão de sentir o que a gente sente e só a gente sabe. Só a gente sabe a emoção de chegar aqui na frente e ver uma turma enorme e unida, mesmo depois de tanta gente dizendo que nunca daria certo juntar todo aquele "resto". Só a gente sabe o valor incalculável de estar entre pessoas que estão unidas pro que der e vier, pra lutar em turma, pra defender com unhas e dentes o sentimento que a gente carrega no lado esquerdo do peito. Seja numa revolução, numa batalha entre turmas ou na defesa de algum argumento, nos mostramos unidos. Pra fazer um trabalho de literatura ou química, unidos. Lembro de ter ouvido pessoas dizendo que queriam que suas turmas fossem como nós. Dá um certo prazer ouvir isso porque é a confirmação de que de nada adianta saber chegar a marte e não saber como chegar no próximo; de que não adianta sair do colégio com um boletim repleto de notas altas e só com meia dúzia de histórias pra contar. Nelson Rodrigues disse que os brasileiros deveriam aprender a sorrir com os alunos do Pedro II, mas eu vou além e digo que as outras turmas deveriam aprender a ser TURMA conosco. Nós não precisamos nos colocar como primeiros, como melhores ou superiores, nos colocamos no lugar de turma e com certeza alcançamos lugares altíssimos. Soubemos fazer uma turma. Assustamos alguns professores, mas ganhamos alguns outros como cúmplices. No meio de tantas acusações, encontramos professores que nos apoiaram e que foram, junto conosco, uma turma. Acho que 1305 sem Daise, Renata e Eduardo é só uma parte. Costumo dizer que a minha turma é linda e que eu vou morrer de saudade, só preciso acrescentar que a 1305 é uma parte enorme de mim. Dizem que no ensino médio tudo é mais verdadeiro e intenso do que em qualquer outra época, e devo concordar com isso. Dá muito medo pensar num amanhã sem chegar na turma e gritar um bom dia, sem receber um grito no ouvido, sem cantar em alto e bom som que as fotos coloridas definitivamente são nossas. São sim, podem apostar. E na minha memória também, as maiores e mais coloridas são de vocês. Alguns deu tempo de conhecer melhor, outros não, mas a imagem que eu levo é a imagem da turma como um todo. Sem separação entre canto da janela, canto da parede ou meio. Levo comigo a imagem da 1305 pulando e gritando o nosso número de guerra. Cinco. Em nome dele fomos criticados, mas em nome dele nos tornamos uma grande família. Sentirei saudades enormes e desejarei sempre, a cada um de vocês, as melhores coisas do mundo. Que da nossa família saiam grandes médicos, advogados, jornalistas, oficiais, escritores, engenheiros. Que em tudo o que formos fazer nos lembremos de que a posição não é o mais importante, antes dela vem a amizade, a união, a certeza de ter marcado a vida de alguém. Contaminem o mundo com o nosso espírito e voltem sempre pra contar o que aconteceu. Exijo pelo menos um encontro da turma por ano, em qualquer lugar onde a gente possa falar mal das turmas alheias, zoar um ao outro, relembrar que a nossa família é unida até quando separada. Se o melhor do CP2 não esteve aqui, eu não consigo enxergá-lo em outro lugar. Muito sucesso pra cada um de nós. Eu amo vocês. O futuro pode sim ser assustador, mas um dia o passado foi futuro e olha só o que ele fez com a gente: nos trouxe até aqui. Segurem suas mochilas, as encham de boas recordações e se preparem porque o trem já vai partir, vamos todos pro futuro, pra um lugar onde os sonhos se realizam e a nossa vida continua.

2 comentários:

@juusep disse...

O futuro também me amedronta. :\

''Tay' disse...

Acho que o futuro é algo que todos nós temos medo.
Muito bom o texto.

bjus =*

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...