terça-feira, 28 de setembro de 2010

O último dia.


Ao menos por hoje, imagine que é o último dia. Imagine que amanhã ao acordar você não o terá do seu lado, não haverá piada ruim às sete da manhã nem abraço que dure os segundos mais eternos do mundo. Amanhã o sol não vai chegar até você através do sorriso dele e as suas cartas e palavras bem escolhidas perderão o destino. Sabendo que amanhã não haverá tempo pra consertar, faz sentido mesmo guardar tudo isso aí dentro? Faz sentido se perder nas histórias que sua mente cria e se embolar com os caminhos mirabolantes que seu coração planejou pra te boicotar? Se amanhã ele não vai estar do teu lado, pra quê calar tdo esse sentimento que nasceu no teu peito? Pra quê fingir que não é nada, que vai passar no próximo instante, se você sente o pra sempre a cada respiração que ele dá ao teu lado? Amanhã, ele, o cara que pode ser o da sua vida, vai esquecer de aparecer. Vai perder a hora pra sempre, vai ser transferido pro Japão, vai bater as botas e abotoar o paletó pra sua vida. Se hoje fosse o último dia do sentimento que durou uma eternidade enquanto durou, o que você faria? Se importaria com o fato dele não ter ido a seu encontro e abriria mão de tê-lo ao seu lado nos seus últimos instantes contigo? Você se encheria de porquês e teorias banais ou viveria sem se questionar e desenharia coisas bonitas no roteiro? Se hoje fosse o último dia, você correria pra abraçá-lo antes que desse tempo pra que ele chegasse em você e o diria sobre os espaços azuis que ele fez brotar na sua vida, sobre as vezes em que você se pegou olhando pra foto dele e pensando em como tinha sorte por tê-lo ali do teu lado, sobre os dias em que nada fazia tanto sentido como estar com ele. Se hoje fosse o último dia, não haveria espaço pro seu orgulho existir ou pra indiferença se instalar. Se hoje fosse o último dia de uma vida tão sonhada, você o convidaria sem receio pra assistir a todos os espetáculos bonitos, a ver o pôr-do-sol, a caminhar pela praia de mãos dadas. Pelo menos por hoje, esqueça que haverá o amanhã. Olhe pro relógio e perceba que as horas passam mais rápido, num tic-tac ensurdecedor que te lembra que daqui a pouco tudo acaba, tudo some, tudo vira nada. Ao menos por hoje, ame pra sempre. Quem sabe assim você consiga se livrar de todos os erros que insiste em cometer. Quem sabe assim o pra sempre se prolongue e atinja a eternidade. Quem sabe assim o último dia seja todo dia e ainda assim não chegue nunca.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Para esvaziar o coração.


Queria saber o que dizer ou pelo menos o que escrever. Queria poder mandar uma carta e te dizer as palavras certas que fizessem seu coração voltar a sorrir. Queria encontrar a solução pra toda essa angústia que hoje dançou no teu peito e escondeu o sorriso que eu tanto amo. Queria que meu abraço tivesse a cura, minha presença confortasse, até que meu silêncio fosse um afago na alma. Mas não existe receita pra isso, não existe fórmula certa, muito menos frases feitas. Vez ou outra me pego perdida entre o que fazer e o que não fazer, entre o que dizer e o que calar. Fico perdida entre o que quero fazer e o que acho que devo fazer. Até onde vai a minha preocupação e onde entra o seu direito de ter um espaço? Tive vontade de te abraçar e te prender e te obrigar a dizer tudo, até chorar se fosse preciso, pra que isso tudo passasse de uma vez. Quis pegar todos esses fantasmas que te assombram e trancá-los numa mala e mandá-los pra qualquer lugar onde não atrapalhassem a tua força. Quis te dar meu modo de ver a vida pra tentar pontuar teus i's que esperam pelos pontos que darão fim a essas inconstâncias. Quis gritar que não, não precisa ser assim, que tudo pode ser mais fácil. Quis pegar teus problemas pra mim, colocá-los todos no meu bolso e ir dando a eles o fim que merecem. Quis te pegar no colo, niná-lo, cantar pra você dormir, como se você fosse uma criança e eu uma mãe perdida com o choro que não cessa e que acaba doendo mais nela do que na criança. Antes de dizer que ninguém se importa, olha pra mim e vê um pontinho minúsculo com um coração maior que o mundo. Que tenta pegar pra si todas as dores e preocupações e vontades de mudar o mundo, tanto que acaba sufocando com o peso de tudo. Tudo o que eu mais quero é ser o seu refúgio, o lugar pra onde você corre quando precisa recarregar as baterias, se livrar de tudo o que te fez mal. Mais do que as minhas dores, eu descobri que a dor que me dói mais é a sua. Porque mancha sua figura tão apreciada por mim. Porque diminui teu sorriso e o torna apenas um disfarce de tudo o que você esconde por dentro. Porque tira teu brilho, teu dom de fazer as pessoas sorrirem, tua vontade de lutar. A dor é sua. Você é meu. E a tua dor é duas vezes a minha dor. Porque não suporto te ver muchar e não ser capaz de te regar e o fazer crescer novamente. Porque me sinto imolizada ao te ver ir embora e não poder fazer nada pra te ajudar. Porque me dói te ver ruir por dentro e arrumar a máscara de tá-tudo-bem por fora. Porque não consigo te ver assim e agir normalmente, como se o sol ainda brilhasse totalmente e o meu sorriso ainda pudesse ser inteiro.Tudo o que eu queria era entrar no teu peito e tirar essa dor daí. Queria perfumar teu mundo com o aroma da primavera que hoje se inicia. Queria limpar teu coração até que só sobrasse a lembrança de todos esses sentimentos que hoje marcaram presença. Esse é só um texto pra esvaziar meu coração que chora por não poder ajudar o teu. É só pra te lembrar que você tem um bloco de notas, um baú, uma caixinha de música aqui do teu lado: eu. Escreve em mim o que você sente, ainda que seja escuro como a noite. Deposita em mim teus segredos e tuas dores, que eu arrumo um jeito de limpá-las. Deita aqui do meu lado e ouve a minha canção. A canção que eu canto pra te ver sorrir. Pra te dar um pedaço de mundo quando o seu mundo desaba. Deita aqui do meu lado e divide todos os seus medos, todas as suas dores, todos os vocês escondindos aí. Deixa eu te dizer com minhas palavras meio tortas o que eu acho disso tudo, se não concordar, entende que tudo o que faço é pra te ver feliz. Se preferir silêncio, tem em mim um poço fundo que ouve tudo e rebate o eco pra que você mesmo se escute e entenda sua voz. Eu sei que sou pequena, sou uma gotinha de amor num oceano de dor, mas me pinga no teu coração, que eu arrumo um jeito de transformar o oceano em amor, canção e poesia. Tem um abraço do lado de cá, tem um colo do tamanho do mundo, tem voz pra te lembrar que essa dor vai passar. Pode vir. Tua dor é minha dor. Estou contigo em qualquer das estações. Pra andar de mãos dadas sob um sol à pino ou pra tentar encontrar um abrigo no meio da chuva. Chega mais perto, me dá a mão, se encolhe no meu abraço e me escuta sussurrar que eu estou do teu lado e que te amo e que luto a tua luta e choro o teu choro.

"Não tenho nada a dizer
Eu fico mudo quando a dor te corta
Seu corpo exige atenção
E nessas horas nada mais importa
Vou esperar do seu lado
A tempestade passar
Vou esperar do seu lado
Porque eu só posso esperar
Queria fazer milagres
Te dar alívio pondo a mão no seu peito
Limpar o céu dessas nuvens
E te entregar um dia perfeito
Mas vem a dor feito enchente
Levando o sol, te carregando pro escuro
Levando preces, milagres
E agora eu morro de pressa de chegar ao futuro".
(Leoni)
 

domingo, 5 de setembro de 2010

Carta para setembro.

















"Que setembro seja melhor e supere todas as angústias, medos, inseguranças e azar de agosto."

Querido, setembro, é isso o que eu espero de você. Mais afeto, mais segurança, mais vontade e menos comodidade. Espero que você faça valer o adjetivo antes do teu nome, querido. Nunca acreditei muito naquele fantasma que ronda agosto e que faz tanta gente praguejar ao vento ao vê-lo se aproximando e o que fazem te amar por isso: porque você traz de volta o ar limpo, vão embora os casacos pesados e entram em cena os vestidos floridos. Você traz esperança, setembro, olhar pra você e pros seus dias se aproximando, faz com que seja acessa a fagulha da esperança que havia sido apagada pelos ventos de um agosto frio. Eu tinha medo de acreditar nessa história porque temia comprovar a verdade: os ventos de agosto são realmente frios e o inverno ultrapassa nossos casacos e chega sim até o coração. Mas aconteceu comigo. Agosto quis me enganar no início, trazendo algumas chuvas de felicidade, mas em compensação, trouxe avalanches de insegurança, medo, ciúme e dúvida. Agora o que me resta é a esperança que você traz, setembro, meus dias precisam dela e tanta gente precisa de mim assim: esperançosa. Por favor, setembro, perfume o ar com suas fragrâncias, as doces são minhas preferidas. Venha varrer com seu vento todo o sentimento ruim que se alastrou embaixo dos meus tapetes, nos cômodos escondidos da casa e matou as flores do meu jardim. Coloca todo dia na minha janela uma flor, pra não me deixar esquecer que é você que eu vivo. Quero flores que caiam sempre em bem-me-quer, com perfumes que não enjoem e atraiam apenas coisas boas. Deixe comigo uma flor que não morra, pra que haja esperança pra sobreviver aos próximos dias sem você. Preciso de você, setembro, varrendo meu orgulho, trazendo de volta a vontade de mudar o mundo a minha volta que havia aqui até agosto chegar. Leva embora essa saudade do que eu nunca vivi, que só me faz exigir demais de tudo. Preciso de você, por isso, daqui em diante, deixarei todas as janelas abertas pra que seu perfume invada todos os cômodos da casa. Abrirei portões, colherei flores e semearei no solo dos outros, pra que a mudança não ocorra só em mim. Daqui em diante, quero que seja sempre setembro em mim, porque em setembro os pássaros cantam mais alto, os corações dão sorriso através dos nossos olhos e a esperança anda de mãos dadas com a gente pela rua, sem medo de ser levada pela tempestade que chega sem avisar. Que setembro seja todo dia e todo dia seja setembro.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Diálogo IV

- Não gosto da forma como ele te abraça.
- Odeio a frequência com que você cita o nome dela.
- Isso significa que você tem ciúmes?
- Sim. E você, você tem ciúmes?
- Não. Tenho medo de te perder.

(Porque nada sei dessa vida sem você. Nada sei desse mundo sem seu sorriso e sua presença pra me incentivar a ser tudo o que quero e posso. Tenho medo de te perder e confirmar a minha teoria de que não vivo mais sem você. Porque você me salvou. Eu era só mais um desses caras soltos pelo mundo, com um amor trancado no peito e meia dúzia de sonhos na gaveta. Você pegou meu amor no colo e o tratou, tirou meus sonhos da gaveta e colocou-os ali onde o sol bate toda manhã. Antes de você eu era qualquer um. Com você eu sou mais do que um. Eu sou teu. E você é minha. Quando te aperto contra o meu peito e ouço seu coração bater, fico feliz por lembrar que bate por mim, porque você se encontra no meu abraço e faz dele o seu lugar. Se um dia eu te perder, ninguém mais caberá dentro dele tão bem como você. Que de tão encantadora, me permite te abraçar e me abraçar ao mesmo tempo, numa forma de nunca me deixar esquecer que eu também importo e que o abraço e tudo o mais só faz sentido se for sentido a dois. Sem você os dias passariam distraídos, sem nenhum encanto que prendesse meu olhar e tirasse a poeira do meu sorriso. Num mundo sem você as noites são sem luar, o sol não chega até mim por inteiro, as canções são letras sem nenhum fundamento que não seja o de te encontrar. Te encontrei pra não te deixar ir nunca mais. Te encontrei pra te prender no meu abraço e ser o único capaz. Não é ciúme, posse nem qualquer outra coisa, é só vontade de te ter inteira, sem dividir sua atenção ou suas risadas. É só vontade de te ouvir dizer todo dia que é minha e que ninguém mais importa. Porque ninguém mais importa pra mim. Eu só vejo você enchendo a minha vida de flores. E a cada dia te quero mais minha. E a cada dia te sinto mais minha. E a cada dia eu sou todo teu.)

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...