quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O que restou de nós.

Eu estava decidida, aquele seria o dia em que eu ia te dizer tudo o que faltou, tudo o precisava e tudo o que nunca havia sido dito. Eu te esperei naquele café pra te dizer coisas que te fariam largar tudo e ficar comigo. Eu ia te dizer que por causa dos meus medos, eu deixei de te falar quando eu senti saudades, quando eu desejei mais do que tudo você aqui e quando eu precisei ouvir de você que aquilo tudo era e sempre foi a maior verdade que existiu em você. Eu ia te contar que eu tive medo de me mostrar demais e depois sobrar. Medo de que você saísse correndo e que eu só estivesse confundindo as coisas. Eu ia te contar sobre todas as folhas e folhas que eu escrevi sobre, e pra, você. Eu ia te dizer que eu nunca disse uma porção de coisas porque sempre achei que você soubesse. E talvez você soubesse, mas ainda assim era preciso que eu houvesse dito. Pra tirar toda a dúvida, preencher todo vazio ou só fazer um afaguinho na alma, não importa. É sempre bom a gente saber que existe de uma forma completa em alguém. Eu sempre esperei que fosse você a pessoa que dissesse o quanto eu fazia falta, o quanto amava e o quanto me queria por perto. Eu sempre esperei que você fizesse as perguntas, ditasse as regras e te sobrecarreguei.
Eu ia assumir toda a culpa. Afinal, a culpa foi minha por não ter feito nada. Por não ter gritado pra te chamar de volta. Por achar que fosse só uma fasezinha e que já fosse passar. A culpa foi minha se algum dia você ficou triste por minha causa. A culpa foi minha por ter economizado palavras, exagerado em medos e amado pra dentro. A culpa foi minha por ter medo de que você me achasse maluca demais e entregue demais. Eu ia te contar que tive medo de que o meu amor fosse grande demais pra você. Medo de que aparecesse alguém melhor e você desistisse do seu brinquedinho pras horas vagas. Eu ia te dizer sobre todos os medos que existem em mim. Medos que eu esperava que você fosse tirar de mim, mas hoje eu vejo que não existe passe de mágica, era preciso que eu abrisse mão deles e arriscasse de vez em quando e escancarasse o coração pra que você pudesse se enxergar lá dentro, no maior lugar que existe.
Eu ia te dizer sobre tudo o que faltou pra dar certo. Faltou dizer, faltou ser pelo menos metade do que você era pra mim. Faltou olho no olho. Faltou te surpreender como você me surpreendia. Faltou puxar conversa, inventar assunto, pra você ver que eu me importava. Faltou te contar sobre os meus medos e pesadelos e fantasias sobre a gente. Faltou te pedir ajuda e te ajudar e saber sobre os seus medos também. Faltou perguntar, faltou responder. Sobrou espaço, sobrou brincadeira, sobrou um bocado de quase. De repente, no tempo que era tão apertadinho e que não dava pra quase nada, ficou sobrando uma porção de espaço que faltou ser preenchido por palavras certas e esclarecedoras. Faltou esclarecer. Faltou dizer que o meu medo era te perder. Faltou dizer que eu preferia ficar assim pra sempre do que não ter nada de você, nem a sua amizade. Sobrou desconfiança e ciúme. Faltou eu e você descobrindo nossos vazios, preenchendo os espaços e completando um ao outro.
Faltou de te dizer tudo isso. Você não apareceu. E eu fui embora. Mais uma vez. Com aquela porção de coisas não-ditas guardadas aqui dentro.
Restou uma xícara de café esquecida numa mesa qualquer. Restou eu sozinha, esperando por alguém que não vem nunca. Restou você fazendo alguma coisa mais importante do que eu. Restou você de um lado e eu de outro. E entre nós aquele velho silêncio, aquela velha distância e aquela velha saudade.

12 comentários:

dianaBruna disse...

Belíssimo
=)
Vou passar por aqui sempre
leitora-de-blog-compulsiva
(e de férias)
bjin

Flavia C. disse...

Sempre falta alguma coisa. A gente espera, cria coragem e quando vai fazer acontecer, outro some...
Ah Nicole, então estamos bem. Você encontra o que falta lá, e eu encontro o que me falta aqui.

Lindo, lindo!

Beijos.

Mandy disse...

Nossa, adorei mais esse texto seu. Eu decidi fazer isso tambem, só que o meu apareceu, e agora eu vejo que preferia que ele nao tivesse. Foi tudo como eu sempre tive medo de um dia acontecer. Ele me tratou com indiferença, como se eu nao tivesse sido nada. E isso me magoou muito. Nunca achei que chegariamos a esse ponto, mas chegamos. E como vc disse no outro texto, ontem eu percebi que era a hora de ele morrer pra sempre dentro de mim. E foi o que aconteceu. Ele morreu, e eu o enterrei no lugar mais profundo do meu coração. Deixando de fora apenas as lembranças maravilhosas que vivemos juntos/separados. Nao vou falar que deixei de amar ele, isso nao aconteceu ainda. Apenas o sentimento mudou. E mudou pra pior sensação de todas. A tristeza, a pena, a solidão. Somos apenas isso agora. Eu dele e ele de mim. Apenas uma lembrança vaga de tudo o que aconteceu. De todo aquele sonho perfeito que viviamos.
Enfim...
Beijoos Nicole.
Mandy

Little dreamer disse...

Eu fiz Nic, tudo q nao fizeram por aqui,e nao sei mto bem se adiantou. Mas nao me arrependo. Sou assim. Amo demais. E essa parte aqui, disso tudo, tudo q talvez me faltou enchergar aqui dentro :

"Restou eu sozinha, esperando por alguém que não vem nunca. Restou você fazendo alguma coisa mais importante do que eu. Restou você de um lado e eu de outro. E entre nós aquele velho silêncio, aquela velha distância e aquela velha saudade."

James Pimentel disse...

o problema é que sempre esperamos a recíproca dos demais e esquecemos de viver. Restou olhar pra si e ver que essa pessoa merecia algo especial.

Beijos, parabéns pelo post!

Ju Fuzetto disse...

Nick!!!

Antes de tudo pense em você

Depois pense se vale a pena

Se valer a pena!

Lute!!!

Um beijo

Jéssica :* disse...

Perfeito demais!
Posso postar no meu blog? ( com créditos a vc claro)

Mto bom mesmo!

---------------
Jessica - Moderadora Bloínquês

Iara Rabelo disse...

é eu tbm esperei, q como esperei, foi anos e anos de espera... ate que cansei de esperar olhei pro lado e vi outra pessoa q hoje em dia me faz muito feliz, e quem eu esperei... hoje eh ele q me esperando com esperanças que um dia eu volte...
Lindo seu texto...
Bejoo

GABRIELE GALARÇA GONÇALVES. disse...

Lindo texto. Usou as palavras certas, e aposto que muita gente vai se identificar com elas, assim como eu. Força querida. Nem sempre escolhemos a pessoa certa pra contruir planos. Elas são pequenas demais pra eles. Beijinhos

Bárbara C * disse...

Eu me indentifiquei muito com esse texto, foi como se eu mesma estivesse escrevendo, parabéns texto perfeito , blog perfeito, beijos :*

Nat ♥ disse...

Nossa, muito lindo e muito bem escrito. Cheguei agora e posso dizer que vou voltar mais vezes. ^^
adorei. :*

Natí disse...

gente, que perfeito *-* , sempre tem alguma coisa faltando, uma sombra abrindo buracos na luz , mas temos que lidar com isso , e esperar de nada dianta, amei *-*

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...