segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Espera(nça).

Deve haver um trem que não chega, um telefone que não toca, uma mensagem que não vem. Deve haver alguma coisa a ser dita, outra a ser ouvida. Deve haver um grito preso na garganta e um coração sufocado no peito. Mas deve haver sobretudo algum fio de esperança que te mantenha de pé. Deve haver alguma coisa dentro de você que a faça insistir nessa espera. Alguma coisa que é verdadeira o suficiente pra te manter presa aí enquanto o resto do mundo continua a girar. O mundo girando e você aí alimentando esperanças, vivendo de esperas e acreditando em tudo o que te faz permanecer aí. Esperando. E Espera quieta no seu canto, com medo de sair andando por aí e ir se perdendo aos poucos em outras vidas, outras histórias. Você tem medo de se tornar irreconhecível pra ele. Por isso espera do mesmo jeito de antes. Com aquele mesmo jeito de falar, aquela mesma risada e todas aquelas manias que ele conhecia tão bem. Você espera com uma esperança que não morre nunca. E quando sua esperança ameaça morrer, você a alimenta falando pra si mesma que ele também está a sua espera e que no tempo certo vocês irão se encontrar em suas esperas. Você alimenta sua esperança com as palavras ditas anteriormente, afinal, estava escrito que seria pra sempre. Você incessantemente alimenta suas esperanças porque tem medo que o fim da esperança seja também o fim do amor. No fundo você quer provar o gosto de uma vida sem espera, uma vida em que acordar não seja sinônimo de correr pro celular pra ver se tem mensagem; uma vida em que o telefone seja só mais um objeto na casa. Você quer uma vida sem esperas, mas você tem medo de que ele venha e te encontre de qualquer jeito, sem esperar por ele. Então você espera. Você espera porque apesar de todo o sofrimento, ainda é ele aquele que te faz feliz. Ainda é nas palavras dele que você precisa se encontrar. Ainda é do sorriso dele que você precisa pra saber que suas palavras valem a pena. Você espera sempre disposta a dizer sim, a aparecer em restaurantes, cinemas, pracinhas. Você espera com uma porção de obrigados e eu te amos presos na garganta.
E enquanto o telefone não toca, você escreve. Enquanto o amor não é declarado, você deixa claro nas entrelinhas. Porque enquanto houver telefone, enquanto houver alguém do outro lado, enquanto houver esperança, você não arreda o pé do seu ponto de espera.
E se o telefone não tocar nunca? Aí quem perde é ele, porque é sempre bom saber que a gente é amado desse jeito como ele é por você...
- Alô?

13 comentários:

Regina Zanette disse...

não consegui tirar os olhos do texto, desde o título até o fim

Larissa p. disse...

perfeito, amei.. precisa de uma continuação D: parabéns!

Gio disse...

Ah nicole, me diz, por favor como você consegue passar tanta emoção para um texto? Eu preciso entender, eu preciso postar algo assim um dia :)

Luiza disse...

ai ele nao deixa eu o amar assim.nao é do meu amor que ele quer viver. o texto ficou lindo, mas a esperança podia abrir espaço pra continuidade da minha vida, porque apenas fica na estação do trem sem ninguem pra te buscar é maldade...
mesmo assim adorei, parabens e beijos.

Mandy disse...

Mais uma conversinha linda entre eles, né? Bom Nick, não precisa agradecer o carinho não. Eu fico esperando ansiosa pelos seus textos, e esse dai mais uma vez mostra oq eu to sentindo/passando. Adorei mesmo. :D
Beijoos
Mandy

Giovanna. disse...

Ja escrevi, ja senti, tudo que escreveu *--* Mas seu texto ficou maravilhoso.

Laylah disse...

Participe do Primeiro concurso do Blog Menina de Ouro e Le Puissant

Fique atento as REGRAS do sorteio

Boa Sorte!!

Visite, comente, siga!!
http://le-puissant.blogspot.com

Girl iB disse...

NOSSA que texto liiindo! Parabéns Nicole, está maravilhoso, vc escreve muito bem :) obrigado por me seguir :*

Páah disse...

vc escreve muito bem ! parabens ! o texto ta otimoo ! :))

Tay disse...

Nossa, achei o texto lindíssimo!!
Esperar nunca é demais!

Beijos!

Little dreamer disse...

- QUEM TA FALANDO?!

Natasha Knorst disse...

Nossa, lindo o texto *-*

Biazynhah disse...

Tenho muito o que falar,o texto passa uma emoção muito boa,tá bem escrito,é legal de se ler...
Resumindo o texto está ótimo,amei.

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...