segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Replay.

Primeiro dia do ano. O que foi mesmo que eu prometi? Começar o ano sem sentir nada? Sair de uma vida que me levava à você? Prometi? prometi.
No momento em que a minha vida deveria virar, quando eu finalmente iria me sentir leve, foi justamente aí que eu vi o quanto todas as minhas promessas fracassaram. Esquece aquelas coisas de ser uma garota forte, conseguir viver sem ter que pensar em você. Esquece todas aquelas coisas sobre te esquecer. A minha vida virou, é verdade. Mas girou pro lado errado. Girou pra parte que me entrega de bandeja a você. Primeiro pensamento do ano? você. Primeiro desejo do ano? você. Primeiro arrependimento do ano? você. Mais uma vez, tô presa nesse replay. Sentir que você é tudo o que eu preciso, te amar com tudo o que sou e depois te odiar, odiar suas promessas, suas palavras. Em vão. Depois eu me pego pensando o quanto eu fui burra, o quanto eu merecia estar contigo. Vai ser sempre assim. Você chega, diz que me ama e se afasta e volta e diz que me ama mais uma vez e foge de novo. E eu continuo aqui. Fugindo, me entregando, perdida entre o que eu deveria sentir e o que eu sinto.
Hoje eu te amo. Hoje eu te desejo aqui do meu lado mais do que qualquer coisa. Hoje eu só queria chegar no fim do dia, encostar a cabeça no teu ombro e te contar sobre todos os gigantes que eu enfrentei pra poder chegar até você. Hoje eu queria que você me ligasse pra poder ouvir tua voz e te fazer rir, pra ter certeza de que você é mais que um sonho bom. Hoje eu queria te levar pra ver estrelas, te mostrar o quanto as coisas são mais bonitas quando a gente tem alguém. Hoje eu ri daquele cara por quem eu era apaixonada porque ele não chega nem aos teus pés. Porque
ele não tem o som da tua risada. Não tem aquele jeito de andar divertido. Não tem nada que pareça contigo, coitado. Hoje foi o seu dia. E eu te entrego o ano todo que começou se você quiser. Eu não sei o que vai ser amanhã. Pode ser que amanhã eu te odeie, odeie o jeito como você anda. Pode ser que eu odeie essa vontade de ouvir tua voz, essa necessidade de saber que você presta atenção em mim. Pode ser que amanhã apareça outro cara e que, dessa vez, eu não ria da cara dele por não ser igual a ti. Quem sabe, dessa vez eu fique feliz e caia nos braços dele, justamente porque ele não tem nada de você. Não tem a sua risada viciante. Não tem seus abraços maiores do que eu. Não tem seu senso humor. E não tem a capacidade de me fazer amar de uma forma tão inteira, tão cem por cento. Talvez esse seja o relacionamento perfeito pra mim: sem entregas, sem exagero.
Amanhã eu tô indo viajar, tô indo pra mais longe ainda de você. Eu sei, uma ótima hora pra não pensar em você e me acostumar com isso. Mas eu não sou tão decidida assim. Já fiz minhas malas e entre tantas roupas, entre tanta coisa que eu coloquei pra tentar chamar atenção de alguém que não seja você e enfim, encostar minha cabeça no travesseiro e não pensar em você, não pensar que pode ser injusto conhecer alguém e não te avisar, lá está aquele livro que você tanto gosta e que tem tantas frases que me lembram você; lá está aquela porção de músicas e filmes que eu separei especialmente pra aquelas noites que eu conheço tão bem. Aquelas noites em que a solidão bate na porta e eu não tenho forças suficientes pra espantá-la. Nessas noites pensar em você é certo. Nessas noites eu vou pra cama com minha munição anti-qualquer-coisa-nova e com milhões de pensamentos sobre você e o tempo. Eu sei que essas noites vão chegar, eu me conheço mais do que eu gostaria. Mas fico bem, não se preocupe.
Acordo renovada. Acordo pronta. Abro as janelas, deixo o sol entrar. Abro a cabeça, o coração e os braços pro novo dia, pras novas coisas. E as novas coisas chegam. E as novas coisas vão. No fim do dia, só me resta você e suas lembranças. Você e a lembrança da maior felicidade que eu tive na vida. E aí, apesar de ter que te odiar pra me mostrar que sou uma garota forte, eu continuo esperando por você. E continuo fechada pro novo. Continuo sorrindo, fingindo que não sinto, procurando por alguém novo que não chega nunca.
Só o que chega é você.
Meu velho.
Meu novo.
Meu Replay.
Meu pra sempre.
____________________________

pessoas queriidas *-*
estava eu viajando feliz da vida e sem internet quando chego em casa e me deparo com esse blog cheeeio de gente nova e cheio de coisas lindas que vocês escrevem :)
muuuuuuuitíssimo obrigada, de verdade.

9 comentários:

Flavia C. disse...

Nicole, você estava viajando, e voltou cheia de coisas lindas pros nossos corações!
Que bom que você resolveu escrever mais, falar mais das coisas que a gente dá voltas e voltas pra conseguir explicar e encontra tão bem esclarecidas por aqui.
Sobre o seu replay ... Quem é que que não viveu um pouco assim ? Procurando tudo do outro naquele um, e tentando fazer diferente. Buscando um novo rumo, e acabando sempre no mesmo lugar, e louca por um replay.

Adicionei seu blog na minha lista!
MERECIDISSÍMA!

Parabéns, linda.

Luísa choonps disse...

"Hoje eu queria que você me ligasse pra poder ouvir tua voz e te fazer rir, pra ter certeza de que você é mais que um sonho bom."

oun, gostei muito !

beijinhos ;*

Gio disse...

Que bom que você voltou, o blog não é mais a mesma coisa sem você. Não mesmo. Não tem seus textos e suas visitas que fazem parte!
Mais um texto perfeito entre todos, replay, ver tudo que já aconteceu e não poder mais voltar é um dos piores castigos

Beels disse...

è um alivio, lêr seus texto, isso aqui, parece até, incompleto, aah tá perfeito *--*

Bami disse...

"Continuo sorrindo, fingindo que não sinto, procurando por alguém novo que não chega nunca." Tbm já fiz isso, fingia que esquecia, fingia que esperava pelo novo, mas na verdade só conseguia pensar no velho. Quando o amor pega a gente de jeito, não tem como escapar.
Que bom que voltou!
Bjooss

FatoSempalavras. disse...

Ebaaaaaaaa...bom ter vc de volta xD

É, certas horas se faz necessário viver um replay, ou ñ?

Depende da situação, né?

Vivo à procurar por um alguém que nunca chega, mas, pessoas boas, como vc e eu, e as inúmeras que aqui estão sempre presentes uma hora terão o que realmente merecem: a felicidade!

Incontáveis abraços.

Elisa Salazar disse...

Gostei muito *-*
Tô te seguindo! (:
Bjo . :DD

.justlow disse...

Achei vc no blog de uma amiga, venha visitar meu blog para que possa compartilhar das minhas maluquices
me segui porque já estou te seguindo ok
;*

Felipe Aguiar disse...

Qualquer comentário meu será desmerecedor diante do tamanho da usa obra!

Parabéns Nicole!

Mto bom msmo!

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...