segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O dia em que eu limpei o óculos.

Hoje foi o primeiro dia, depois de muito tempo, que você não foi o meu primeiro pensamento pela manhã. Hoje, foi a primeira vez, depois de muitas, que eu entrei na internet e não desejei com toda a força que existe em mim pra que você estivesse pelo menos no meu msn. Hoje eu experimentei uma vida sem você e eu vi que, se não fosse essa coisa que me consome chamada amor, eu poderia me acostumar com a ideia de viver de sem você. Hoje eu descobri que sem você as coisas vão ser tristes, vai doer de uma forma arrasadora, mas eu posso sobreviver.
Veja bem, não é que eu queira te esquecer, não é que você não me faça feliz e, jamais pense que é porque eu não te amo mais. É só que hoje eu acordei realista, sangue frio, mesmo. Hoje eu vi que viver em função de alguém quase virtual, é burrice. Eu vi que acreditar em alguém que não olha nos olhos quando diz é pura estupidez. Hoje eu segui o exemplo da Tati e, finalmente, limpei o óculos. Com minhas lentes limpas, eu vi a realidade que existe por trás do conto de fada. Eu vi que a altura da torre que separa a rapunzel do príncipe é muito maior do que eu pensei que fosse, imagina como deve ser pra mim que nem sequer tenho uma trança pra jogar. Eu vi que a fada madrinha não foi capaz de ajudar o príncipe a encontrar a dona do sapatinho de cristal, o príncipe que, por iniciativa própria, correu cidades, enfrentou barreiras, só pra encontrar a dona daquele sapato e, coincidentemente, a dona do seu coração, aí eu vi que eu tenho um príncipe mas não sei se o príncipe tem motivação e força suficiente pra correr cidades, enfrentar barreiras, pra me encontrar, eu que nem tenho um sapatinho de cristal.
Hoje pra mim, foi como a meia noite pra cinderela: o encanto acabou. Hoje eu, que sempre penso com o coração, deixei a razão falar mais alto. E a coisa mais triste que eu tenho a dizer: Hoje eu quase desisti de você. Eu quase me rendi aos meus medos, à todas as barreiras que existem entre a gente e que me impedem de te chamar de amor. Hoje eu quase te odiei. Por me deixar aqui sozinha, por não subir em torres, por não atravessar cidades, só pra me encontrar. Hoje eu quase odiei sua mania de me fazer rir de tudo e não me deixar sentir raiva de você. Hoje eu quase odiei o seu jeito de andar engraçado, sua voz viciante e seu sorriso fofo. Hoje eu quase odiei o tempo em que eu te tive ao meu lado. Mas aí, quando eu estava prestes a gritar pro mundo que, finalmente, havia conseguido te tirar de dentro de mim, passou um filme na minha mente. Eu lembrei que é justamente na sua mania de me fazer rir que eu encontro conforto. Eu lembrei que é no seu jeito de andar engraçado, na sua voz viciante e no seu sorriso fofo, que eu encontro a felicidade. Eu percebi que me privar de coisas assim, coisas tão simples pra muita gente, mas que significam tudo pra mim, que, enfim, me privar de você seria me privar de uma parte gigante da minha felicidade. O meu óculos, que, por incrível que pareça, permanece mais limpo do que nunca, me fez ver que você é peça fundamental na minha vida. Depois de tudo isso, eu finalmente entendi que por mais difícil que fosse, o príncipe conseguiu subir na torre, a cinderela foi encontrada. Não, eu não tenho trança pra jogar, mas eu pulo se souber que você não vai me deixar cair ou, se você estiver disposto, pode construir uma escada pra chegar até a mim. Eu também não tenho uma fada madrinha nem um sapatinho de cristal perdido por aí, mas eu tenho um coração e, adivinha só, ele tá com você e você ainda pode vir correndo até mim ou se preferir, eu saio correndo até você se tiver certeza de que você estará me esperando de braços abertos.
Meu óculos limpo me fez ver que, além das barreiras, além até da própria realidade, há sempre um final feliz. Basta só você a gente querer.

4 comentários:

Jualves disse...

E a Nicole me impressiona mais uma vez. É. Você tem um dom, use-o para o bem, Florzinha que eu cultivo no meu coração.

Sim. Se eu tiver certeza de que é verdade eu pulo, espero, corro pela cidade, não desisto do meu amor.

"Eu percebi(...) que me privar de você seria me privar de uma parte gigante da minha felicidade. "
Essa é pra você Nick.
Essa é pra Ele, que eu ainda nem sei quem é, mas que vai saber, um dia, desse amor feito de simplicidade.

Nicole, que maravilha é o teu blog. Que Deus continue te abençoando.

esse_blog_tem_estilo.com.br

Little dreamer disse...

"E a coisa mais triste que eu tenho a dizer: Hoje eu quase desisti de você. Eu quase me rendi aos meus medos, à todas as barreiras que existem entre a gente e que me impedem de te chamar de amor. Hoje eu quase te odiei. Por me deixar aqui sozinha, por não subir em torres, por não atravessar cidades, só pra me encontrar. Hoje eu quase odiei sua mania de me fazer rir de tudo e não me deixar sentir raiva de você. "


Menina LINDA! vc tem a capacidade de falar por mim sempre. Eu fico mega emocionada quando entro aqui e vejo coisinhas como essa. Lembra do q eu disse desde o começo? vc escreve igual a mim, talvez seja por isso q me encontrar sempre.

Gio disse...

"Hoje eu quase odiei o tempo em que eu te tive ao meu lado. Mas aí, quando eu estava prestes a gritar pro mundo que, finalmente, havia conseguido te tirar de dentro de mim, passou um filme na minha mente."
Você realmente conseguiu espressar em palavras o que eu tava passando, de novo. Não somos as princesas de conto de fadas, mas quem sabe, se você for meu pricipe, eu não posso tentar? haha. Você escreve com o coração, e tudo fica ainda mais bonito.

Bami disse...

Que bom que não vai desistir do amor. De vez em quando tbm limpo meus óculos e deixo a razão falar mais alto. Mas pra viver feliz eu tenho que deixar que a minha emoção tbm fale.
"O meu óculos, que, por incrível que pareça, permanece mais limpo do que nunca, me fez ver que você é peça fundamental na minha vida."
Lindo!
Bjooss

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...