segunda-feira, 30 de novembro de 2009

pra você.

Até ontem, depois que você foi embora, eu não sabia o que eu via em você. Um bobo alegre, um idiota, um chato. Eu não entendia por que raios eu decidi que era com você, e só, que eu queria ficar. Afinal, por que querer alguém tão longe, tendo opções tão perto? Eu também não conseguia entender o que você via em mim. Podendo querer tantas outras meninas mais bonitas, bem melhores do que eu. Por que escolher alguém tão pequena, tão insegura, tão boba quanto eu? Eu não entendia e, pra ser sincera, até hoje eu não entendo. Mas ontem, quando você foi embora e, pela primeira vez, eu tive certeza de que você iria voltar, eu descobri que eu não preciso entender e ponto. A vida é assim mesmo, eu não entendo, você não entende, ninguém entende nada. A única coisa que a gente faz é se colocar a disposição pra aquilo que a vida trouxer.
E, depois de tantos sapos, ela me trouxe você. Muito mais que um príncipe, um herói. É, você salvou minha vida. Depois de tanto tempo procurando alguém, eu olhei pro lado e vi você. E você me viu também. Eu não sei o que a gente faz agora, não sei se vou saber lidar com essa responsabilidade gigante que é fazer alguém feliz. Tudo o que eu sei é que, mesmo longe, a gente se vê tanto, tanto, que prefere fingir que não vê nada. Mas eu sei e você sabe que além de qualquer coisa, de se ver ou não, o nosso amor está lá, esperando a hora de poder se revelar. Eu fico aqui pensando: se hoje quando a gente não é nada, você já é tudo, imagine então quando a gente for tudo. Você é cada risada que eu dou; e dou querendo que ela ultrapasse barreiras e vá te encontrar onde você estiver. Você é todas as piadas sem graça que eu conto pras minhas amigas, só porque eu aprendi com você. Você é cada palavra que eu escrevo. Você é cada lugar que eu vou, te desejando do meu lado. Você é cada foto que eu tiro, só pra me enganar e te mostrar que eu sou feliz sem você. Eu posso ser feliz sem você, eu sei. Mas com você a felicidade é bem mais que uma palavrinha de 10 letras. A felicidade é real. E você agora é real. Você é minha felicidade, consegue entender? Eu tenho medo de perder essa felicidade. Eu tenho tanto medo de te perder que eu sugo cada pedaço de você pra um dia, caso você se perca de mim, eu tenha com o que ser feliz enquanto procuro te reencontrar. Eu tenho tanto medo de perder essa nossa ligação que acabo não falando todas essas coisas com medo de te assustar. Até eu me assusto. Como eu posso querer tanto assim alguém? Como cada parte de mim suplica por ter você ao meu lado? isso nunca aconteceu. Às vezes eu temo, outras vezes adoro. Adoro tanto que tenho pena de que como o mundo era menos feliz, antes da gente se encontrar. Por favor, não faça isso acabar, fique até o fim. Deixa eu te mostrar a mulher sensível que existe atrás da menina com um milhão de ironias pra você não achar que a pode ganhar. Deixa eu te mostrar o quanto a gente pode ser feliz. Deixa eu te mostrar o bem que você me faz. Deixa eu dizer, antes que o texto acabe, que você é melhor do que todo o resto do mundo junto, seu sorriso é o melhor prêmio que a vida pode me dar e que eu te amo mais do que eu pensei um dia poder amar alguém. Você é a minha maior saudade, meu maior desejo e o meu maior presente. Por favor, não se perca de mim. Mesmo depois de descobrir meus segredos e defeitos, fica mais um pouco. Vamos descobrir juntos o que a gente faz com esse amor maior que o mundo.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Corre, menina.


Oi, menina. Dessa vez quem te escreve sou eu.

Ontem, naquela briga que vocês tiveram, você reclamou que fazia tempo que ele não te dava atenção, mas você já parou pra pensar que você também não dá atenção pra ele? você e sua mania de esperar que venham até você. Você tem medo, menina, e, assim como você, pode ser que ele também tenha. Medo de não te agradar, de te incomodar, de ficar grudento demais. Afinal, ele nem sabe o que você sente. Ele é quem deveria reclamar, não você. Ele se declara, diz todas aquelas coisas que você tanto quer ouvir, e você?! o que você faz, menina? você, só diz meias palavras, sempre com medo de se mostrar demais. Te escrevo hoje pra te aconselhar, menina. Para de ser tão egoísta. Tenta olhar o outro lado da moeda. Para de querer que ele te faça feliz enquanto você fica aí feito uma estátua esperando iniciativas alheias. Surpreenda, menina. Ligue, mande scrap, mensagem, sinal de fumaça, não importa. Qualquer coisa que o faça ver que ele também é importante pra você. Mostra que você tem medo de perdê-lo. Vocês sabem que se amam e que o amor de vocês não tem explicação. O único problema de vocês é esse medo. Parece até medo de ser feliz. Soltem as mãos, deem o salto. Se ele não tiver coragem pra começar, comece você, menina. Faça diferente. Deve haver um milhão de coisas incríveis esperando por vocês. Vai, menina. Eu sei que você ainda acredita e, principalmente, que você ainda ama. Deixa pra lá essa mania de ficar sempre com um pé atrás, desconfiando de tudo. Deixa de lado essa insegurança. Vai, se declara logo. Diz que ama e ama de verdade. Diz que sem ele as coisas são tristes, sem graça. Mostra pra ele o seu amor. Sem medo. Sem restrições. Vai, menina, ele te ama, você sabe. Só que ele também precisa de provas.
Corre, menina, você sabe que ele é tudo o que você sonhou.
Corre, ainda dá tempo.
Não desperdice a chance de ter encontrado o amor da sua vida.
Vai, menina, eu acredito em vocês.
E vocês também acreditam, eu sei.
Vai, menina, não deixa ele se perder. De novo.
Vai. Corre. Grita. Faz o que for preciso, só não deixa esse amor morrer.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

por que eu?

Então vai. Vai porque, enquanto assisto você ir, eu fico aqui mergulhada no meu pessimismo e na minha insegurança. Afinal, eu já sabia que não ia dar certo. Era bom demais, rápido demais, do jeito que eu sonhei demais. Eu não merecia tudo isso, todo esse amor. Por que alguém seria apaixonado por mim podendo querer tantas outras mais bonitas, mais inteligentes, mais simpáticas?! Eu já sabia. A minha cartilha de menina durona já havia me dito: felicidade demais dura pouco. Eu sempre segui todas aquelas regras. Faça isso, faça aquilo. Não demonstre sentir, haja indiferente e não diga nada. Sempre segui à risca. Mas aí eu vi você. Tão lindo, tão divertido, tão aparentemente afim de mim e fiquei com vontade, como eu nunca havia ficado, de mandar pro quinto dos infernos todas aquelas regras e tentar, só dessa vez, ser feliz. E eu tentei, com todas as minhas forças. Deixei você se aproximar, acreditei nas suas palavras e te amei, de verdade. Deixei você chegar onde ninguém havia conseguido chegar antes. Depois de muito tempo, eu finalmente acreditei que alguém pudesse me amar. Um dia eu cheguei até a pensar que você tivesse medo de me perder. Sabe o que isso significa?! Ninguém nunca antes havia mostrado isso. Você salvou minha vida por uns dias. Deixou tudo mais simples, mais fácil, mais colorido. E agora? joguei todas as minhas esperanças na gente no lixo, pela milésima vez. Eu sei, amanhã isso vai passar, eu vou acordar mais apaixonada do que nunca. isso deve ser mais uma bobeira de menina apaixonada que não conseguiu sua atenção quando mais precisou. Mas hoje, essas palavras, esses medos, eles realmente estão conseguindo me convencer de que eu não mereço. É demais, entende?! não dá pra entender por que alguém resolveria me escolher, por que alguém resolveria sentir minha falta e me desejar por perto todos os dias. Foi tudo uma ilusão, só podia ser. Você deve dizer todas aquelas coisas pra todas as suas amigas, eu devo ter sido a única boba que resolveu acreditar. Hoje eu só quero esquecer tudo isso. Lembrar de você como um amigo, e só. Esquecer que um dia eu planejei um futuro brilhante pra nós dois. Amanhã, quando minhas esperanças forem renovadas por alguma surpresa sua, tudo o que eu vou querer é te escrever milhares de palavras doces. Mas hoje deixa eu ser amarga. Deixa eu dizer tudo o que tá preso aqui. E amanhã, quando eu estiver mais afim do que nunca, se você ainda quiser, mesmo depois de ter lido toda essa baboseira; mesmo depois de descobrir meus medos, minhas inseguranças; se amanhã, depois de ter descoberto o fantasma que me ronda, você ainda estiver disposto a lutar por mim e a ter medo de me perder, pode vir. Porque, mesmo hoje, quando eu deveria te odiar e não querer mais te ver, eu só consigo te amar. e amanhã... ah, amanhã, eu sei, esse amor vai ser mais forte que nunca.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A estranha.

Ela sempre esteve comigo.
Quando eu precisei e quando não precisei.
Era minha amiga e uma estranha, ao mesmo tempo.
Sabia tudo da minha vida. Sabia mais até do que eu.
Vivia comigo, parecia estar do meu lado e mesmo assim me traiu.
Éramos super unidas, nossas ideias e ideais eram as mesmas. Não discordávamos em nada. Até que ele apareceu.
Concordamos logo de cara que ele era lindo e tinha tudo pra ser um bom partido. Logo nos tornamos amigos. Nós três. A estranha estava sempre conosco e me traiu diversas vezes.
A estranha sempre soube do meu medo de amar, sempre soube da minha mania de proteção.
Ela sempre me ajudou a construir e a manter meus muros que impediam qualquer um de se aproximar. Esse é o motivo da minha surpresa quando eu descobri que havia sido traída e que era tarde demais.
Suas traições eram sempre discretas. Enquanto eu fazia de tudo pra não cair na conversa dele, ela ia lá e me entregava, mostrando que eu estava afim. Quando minhas convicções diziam que era errado ligar depois do primeiro encontro, ela vinha e me entregava o telefone. Foi desse jeito, com seus conselhos e suas imposições, que a estranha me venceu e eu acabei entregando meu coração de bandeja.
Por isso eu estou aqui hoje deitada num mar de lágrimas porque ele foi embora sem dar aviso prévio. Se não fosse essa estranha, que me domina e me vence a cada dia, eu jamais teria acreditado em todas aquelas promessas. Por causa dela eu chorei, passei vergonha e gritei pra Deus e o mundo sentimentos que eu escondia até de mim.
E, apesar de todo mal que essa estranha me causou, eu não posso me livrar dela.
A estranha, minha amiga da onça, é uma louca varrida que vive dentro de mim.


Pauta pro BK.
eu acho que saí um pouco do tema, mas gostei do texto e resolvi publicar rs :)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

e se fosse verdade.

Tudo aconteceu numa estação. Uma cena quase incomum naquele lugar com pessoas indo se esconder, fugindo ou indo mudar alguma coisa em algum lugar. As câmeras de segurança registraram tudo. Ele, um cara alto, agia de forma estranha, parecia nervoso, como alguém prestes a dizer alguma coisa que mude uma vida, ou duas. Carregava uma mala cor de rosa, provavelmente, da menina que a acompanhava. Ela tinha o olhar distante, como quem vai, mas vai sabendo que está deixando alguma coisa essencial pra trás. Eu queria poder contar com exatidão a cena que eu presenciei aquele dia, mas por mais que eu me esforçasse, perderia a essência. Vou registrar aqui tudo o que eles, ou melhor, tudo o que ele falou. Ainda não me recuperei plenamente, pode ser que eu deixe alguma coisa passar, mas eis aqui o que foi dito:
" - Não, não vai agora. Deixa eu dizer antes que o trem parta que você cresceu em mim de uma forma inesperada. Esse tempo todo que se passou sem você, só me fez ver que toda essa procura por alguém era inútil, você é o meu alguém. Sempre foi. E eu tive que perder pra dar valor. O quê?! Ah tá. Tarde demais, eu sei. Tudo bem, eu te amo tanto, tanto, tanto que te deixo livre. Se tiver que ser será, lembra?! Ah, boa época aquela em que a gente se via todos os dias e eu era seu melhor amigo. Você sempre me procurava pra me contar sobre os seus namoradinhos. O que tiver que ser será era nossa frase de guerra, lembra?! Éramos tão bobos e eu, tão feliz. Se eu soubesse antes que um dia você ia me fazer tanta falta um dia, eu sairia correndo atrás do seu carro naquele dia em que você se mudou. Desde então, nada nunca mais foi o mesmo sem você. Ah, o trem vai partir?! Mas não dá pra ir no próximo?! Fica mais um pouco, deixa eu aproveitar mais você. Ah, tem alguém te esperando, entendi. Então tá, mas por favor, quando você encontrar esse cara, diz pra ele que ele é o cara mais sortudo do mundo por ter alguém como você. Avisa pra ele cuidar bem de você porque se não, vai se ver comigo. O quê?! Tô parecendo uma criança falando assim?! Eu sei, é que você desperta em mim sentimentos incrivelmente ternos. É um amor diferente, sabe? Diferente de tudo o que eu já senti. É mais que carnal. É me importar com você. É fazer de tudo pra estar do seu lado. É querer cuidar de você. É amar por amar. Sem pedir nada em troca. O quê?! Não dá mais pra esperar? Então tá, vai lá. Só não esquece que você vai sempre ser a minha maior saudade. Ah, me desculpa. Ninguém merece ver um homem desse tamanho chorando, eu sei. Vai lá, não quero te atrapalhar. Mas, olha, quando a hora chegar, volta? O meu amor está acima das coisas desse mundo."
E ela foi embora. Sem dizer nada. Sem olhar pra trás. Com total indiferença. Não sei se ela foi chorando durante a viagem, se lembrou de todas aquelas palavras. As mais sinceras que eu já ouvi na vida. Mas naquele momento, nada me pareceu real, afinal, como alguém podia responder tão friamente a uma declaração daquelas?! Só depois que eu percebi, pelo modo que ela foi embora, que aquele olhar distante era medo de demonstrar todo aquele sentimento que ela havia guardado e escondido a sete chaves durante a vida toda. Ela estava cansada. Cansada de só dar e não receber. Cansada, principalmente, dessa história de amor. Foi então que aconteceu a coisa mais irreal de todas. Quando aquele cara estava indo embora, eu percebi que o conhecia. Era eu. Eu estava me vendo alguns anos a frente. Era eu me despedindo da pessoa que eu mais amo na vida. Eu nunca poderia permitir que ela fosse embora, que se perdesse de mim.
Eu não sei se foi um sonho ou se realmente estive naquela estação. Eu só sei que agora tudo vai ser diferente. Agora eu imagino como seria se a gente pudesse mesmo, sempre que quisesse, ir e voltar no tempo. Pra consertar erros, reconstruir sonhos e aproveitar pessoas que estão do nosso lado hoje e poderão não estar mais amanhã.

_______________________________________________

Pauta pro OUAT.
li um livro esses dias: SLAM, e nele o personagem ia e voltava no tempo, achei legal e resolvi fazer um assim rs. SIIIIIIIM, eu adoro histórias sobre despedidas rs.
ah, esqueci de dizer, meu texto "cedo ou tarde, a gente vai se encontrar" ganhou o primeiro lugar no OUAT *---------------*
ah gente, as provas me fizeram sumir daqui, mas agora eu voltei rs.
prometo responder comentários, ler toooodos os textos de vocês *-*

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

toda minha saudade e o meu amor de sempre.

 
















Parabéns. Por ontem, por hoje, por sempre.

Eu sei, o texto vai parecer super clichê, mas não é. Existem milhares de coisas que eu queria te dizer mas não sei colocar tudo em palavras. Qualquer coisa que eu venha dizer aqui não chegará nem perto de tudo o que você merece. Porque existem pessoas que merecem tudo de bom, mas existem (poucas) pessoas como você que merecem muito, muito mais. Porque você é O cara (oi, clichê rs). Você tem o poder de fazer com que as pessoas se sintam bem e, claro, comigo não foi diferente. Apesar de nunca ter demonstrado (eu acho), eu sempre me senti a vontade do seu lado, sempre preferi a sua companhia a qualquer outra, porque você era a minha fuga naqueles lugares com tanta gente e tão pouca afinidade. Apesar da nossa amizade anormal e estranha, eu sempre te considerei um amigo. Eu sempre soube que, apesar de me maltratar, zoar, etc, você, lá no fuuuuuuundo, gostava de mim. E eu via seus esforços em me fazer rir (o que nunca foi muito difícil) e eu ficava feliz, de verdade. E eu sinto falta disso. De ter você no meu pé, me estressando, mas me fazendo muito feliz. Sabe, durante esse ano que a gente passou sem se falar, eu achava que havia superado a sua falta, de vez em quando eu lembrava de você, mas depois passava. Hoje, agora que você se tornou sociável e a gente conversa com certa frequência, eu vejo como a minha vida era menos feliz sem você. E eu adoro. Adoro o jeito como você faz as coisas ficarem melhores. Adoro como você faz os outros parecerem bobos da corte quando tentam implicar comigo, porque, em matéria de implicância, todo mundo sabe que você é o rei. Adoro quando você tira o dia pra me elogiar. Adoro até o dia que você tira pra implicar comigo. Na verdade, adoro qualquer dia que você tire pelo menos dez minutos pra mim. Adoro a nossa amizade, principalmente isso de, ao contrário das demais, só aumentar com o tempo e a distância. Adoro suas piadas sem graça, nossas conversas e seus depoimentos. Adoro até suas (muitas) promessas não cumpridas. Enfim, eu adoro você. Tem um espaço aqui na minha vida reservado pra você, pro maior e melhor chato do mundo. Um dia, se me dessem direito a um pedido, eu ficaria suuuuuper em dúvida, é claro, mas lá no fundo, eu acho que acabaria desejando ter você do meu lado de novo. Pra dessa vez, quem sabe, aproveitar direito esse presente que a vida me deu. E, de repente, dessa vez desse tempo pra eu ser um presente na tua vida também, como uma vingança. Eu nunca quero me perder de você, eu preciso saber que, em algum lugar desse mundo, eu tenho você. Enfim, deixa eu só agradecer por ter aparecido na minha vida, por me fazer feliz e por ter estado disposto a me aturar. Você é incrível e, clichê dos clichês: EU TE AMO. E vou estar aqui todos os dias seja pro que for. Eu te amo, e isso parece nada perto do que eu sinto. Eu te amo e me sinto a pessoa mais sortuda do mundo por poder te chamar de amigo.


"Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
De você, não esqueço jamais... ♪"

_____ x _______
lá vamos nós para os meus ps's:
1- eu costumo colocar foto da pessoa, porém, na falta eu tive que fazer um desenho rs.
2- eu sei, ficou bem claro que eu não tenho nenhum talento pra desenhar.
3- sinceramente, eu espero que eu escreva melhor do que desenho rs :)

sábado, 7 de novembro de 2009

quando eu vi, tinha virado isso.

Não, não sou explícita. Nunca fui de distribuir abraços, palavras bonitinhas nem de sair por aí dizendo o que eu sentia pra Deus e o mundo. De que eu chamo isso? Proteção. Eu sempre vesti uma capa de menina durona, que não chora, não sente e não se abala, pra me proteger dos meninos comuns que têm aí fora. Era medo de mostrar que as minhas pernas tremem diante de qualquer um que me diga palavras bonitas, porque, provavelmente, se aproveitariam disso. Era medo de amar e amar demais, sozinha. Era medo de dizer o que eu sentia e que ficasse assim mesmo, só eu digo, só eu sinto. Mas aí, você apareceu. E como se ter aparecido não bastasse, você levou embora toda essa minha mania de proteção, meus medos e minha capa de durona. Você apareceu e me fez querer encontrar contigo em cada esquina só pra dizer uma centena de coisas que eu escondi enquanto insistia em me proteger. Eu nem sei se a gente vai ser alguma coisa além disso algum dia. Na verdade, eu nem sei se você é verdade ou se é mais uma na minha coleção de ilusões. Eu nem sei se depois de você eu vou continuar com minha mania de proteção. Eu só sei que eu ando por aí querendo gritar pro moço da padaria, pra tia da farmácia e pro trocador do ônibus, o quanto eu sou sortuda por ter encontrado você. Colocar outdoors nas ruas, fazer uma camiseta com sua foto, sair por aí com eu te amo escrito na testa. Até o sol lá fora faz parecer que brilha pra gritar por mim o quanto eu te amo. Eu te amo e não me importo mais se vou me machucar, amar demais ou me iludir no final. Sempre me disseram que faz parte da vida, então tá. Vamos lá, vamos jogar. Eu sei, posso chorar um dia, um mês ou um ano, mas depois, eu sei, vai passar. E tudo que vai sobrar é a sua lembrança e a lembrança do maior amor que já senti na vida. É isso, esse era pra ser mais um texto daqueles em que a mulher romântica sai de cena pra dar lugar a desiludida, mas não deu. Você faz despertar todo o romantismo que existe escondido em mim. Mas deixa eu te agradecer, meus textos só existem porque você existe. Minha inspiração, minha alegria. Tudo é você. E eu só sou eu mesma quando sou com você.

__________________


ps: sei lá, eu tenho medo desse texto. comecei a escrever uma coisa e virou isso aí, mas eu gostei, é muito verdadeiro rs :)

psoutro: aaaaaaaaaaah, ganhei o 1º lugar no PostIt! com o texto das estrelas *-----------*

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Cedo ou tarde, a gente se encontra.


Naquele dia no aeroporto, apesar de toda tristeza do momento, algo me dizia que as nossas vidas jamais seriam as mesmas. Ele, a melhor coisa que tinha acontecido na minha vida, estava indo embora pra outro país, outro continente, outra vida. Nos conhecíamos desde os tempos de jardim de infância, nos encontramos e nos desencontramos inúmeras vezes, até que, no nosso último reencontro, tivemos certeza de que o destino queria que ficássemos juntos. Daí o motivo da minha decepção quando aquele avião partiu. Ali, eu tive certeza, de que o destino era uma desculpa esfarrapada pra ficarmos juntos.

Tudo começou quando ele recebeu aquela proposta. Uma empresa em busca de 'novos escritores' foi parar no nosso colégio; fizeram um concurso de redação e, adivinhe quem ganhou?! Sim, ele. Mas o que ninguém podia imaginar era que um concurso ingênuo fosse trazer tantas surpresas. Na semana seguinte, a empresa entrou em contato com a família dele, oferecendo uma viagem pra Europa, pra estudar na melhor universidade da França com uma bolsa de 100% com direito a moradia e a levar os pais juntos. De fato, era uma proposta de uma nova vida. Nesse mesmo dia ele apareceu lá em casa, dizendo que precisava conversar comigo. Foi quando ele me disse sobre a bolsa. Perguntou o que eu achava, se eu achava que ele deveria ir. Como ele ousa a me perguntar uma coisa dessas?! Quem sou eu pra decidir o destino da pessoa que eu mais amo na vida?! Eu o disse pra fazer o que achasse melhor, que eu entenderia qualquer decisão que fosse tomada. Ficamos nesse clima tenso, abraçados, sem dizer nenhuma palavra. Naquele momento eu senti que aquele seria o nosso último momento junto. Quando a gente se despediu, em meio às lágrimas, eu apenas disse: 'eu acredito em você, eu sempre acreditei'. E, de fato, aquelas foram as palavras mais sinceras e mais dolorosas que eu já disse pra alguém.
Na semana seguinte, no aeroporto, demos início a nossa nova vida. Ele, na Europa, com outra vida, outras pessoas, sabe-se lá até quando. Eu, no mesmo lugar, com as mesmas pessoas, mas sem a pessoa que mais importa pra mim. Em meio à lágrimas, promessas de manter contato e palavras de conforto, nos despedimos do nosso amor com a certeza de que se o destino fosse mesmo o que dizem que é, daria um jeito de nos juntar novamente.
Mantivemos contato durante um tempo, até que foi ficando cada vez mais raro. Porém, hoje, quando eu achava que não tinha mais jeito, chegou um pacote aqui em casa: o primeiro livro dele. Me agarrei àquilo com tanta força que meus braços amassaram o papel. Era a primeira edição em português, com uma dedicatória que mais parecia uma carta e com o meu nome na parte de agradecimentos. Imediatamente comecei a ler, li tudo em um dia. Terminei aquele livro com as minhas esperanças no nosso amor, no destino e no nosso reencontro, renovadas. O livro era sobre uma menina e um menino que se reencontravam depois de dez anos separados. Na última página estava escrito o último diálogo:


" - Eu acredito em você, disse ela
- Eu acredito na gente
- Promete manter contato?
- Prometo te levar pra sempre comigo."

E na contra-capa tinha uma passagem de avião.
Quer saber? Seja destino, sorte, ou qualquer outra coisa, eu sei que nós vamos ficar sempre juntos. Aqui, na Europa, ou na China, se a gente tiver que se encontrar, a gente se encontra.


Pauta pro OUAT :)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

brilha, brilha, estrelinha.

Certos amigos são como estrelas. Sim, estrelas. Estrelas que brilham todo dia, a toda hora. Estrelas que te orientam, te iluminam mesmo nas noites mais sombrias. Estrelas que te fazem acreditar que amanhã será um novo dia e o sol estará mais forte que antes. Estrelas que dizem tudo o que precisa ser dito, mesmo sem falarem, e no silêncio delas você compreende que elas estarão sempre ali, mesmo quando as noites forem sombrias e você não puder vê-las, você sabe que em algum lugar elas estarão torcendo por você.
As estrelas são como nenhum outro ser. Elas têm a capacidade de te fazer feliz só por estar contemplando-as. Estrelas, pra chamar de suas, não são tão fáceis de encontrar, mas uma vez que você as encontra você passa a ter tudo; mesmo quando tudo o que você tem são elas. Estrelas também têm esse poder: elas te fazem companhia quando o resto do mundo parece ter te esquecido. Elas conseguem te completar e suprir a necessidade que você tem de ter alguém por perto. Às vezes, até porque nem tudo são flores, você acaba se decepcionando com suas estrelas. Por incompreensão, por elas não terem comparecido na noite em que você mais precisou. A gente se decepciona porque acha que as nossas estrelas arrumaram um outro céu pra iluminar. Se decepciona com atitudes de algumas estrelas que querem brilhar mais que as outras e ofuscá-las. A gente se decepciona porque todo mundo, até as estrelas, erram. Mas aí quando você pensa em deixá-las ir procurarem um outro céu, uma outra vida, você pensa em como a sua vida seria menos feliz, menos iluminada, sem tê-las por perto. Então, você deixa de lado todas as decepções, simplesmente porque o seu amor por elas supera qualquer coisa. Estrelas te fazem ser a pessoa mais feliz do mundo.
Um céu estrelado é como uma vida de amizade. Não importa se você tem 1, 10 ou 100 estrelas no seu céu, o que importa de verdade é a intensidade do brilho que elas trazem a sua vida. Eu, você, nós, o mundo precisa de estrelas. Os dias e, sobretudo, as noites precisam de estrelas. E até mesmo as estrelas precisam de estrelas. Sozinhas elas não brilham, juntas elas resplandecem.
Que o seu céu seja repleto de estrelas que te iluminem, de verdade. Que a sua vida possa ser uma estrela na vida de alguém. E que as estrelas, brilhem. Hoje, depois e depois.


_______________________



Pauta pro PostIt, tema: amizade *-*

ah gente, eu estava tão sumida daqui :/

prometo responder comentários, visitar vocês, tô com saudade rs :p

beeeeeijos :*

ps: aaaaaah, o fim do ano tá chegando gente Ö.
isso me dá até vontade de fazer um texto rs :)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

só me resta esperar.

- Eu só preciso quero que ele chegue. O cara que vai me fazer esquecer todas as coisas ruins que eu já vi. O cara que vai me fazer sentir protegida. O cara que vai me amar sem pedir nada em troca. É por ele que eu continuo aqui, esperando na linha de chegada. Eu só quero que ele venha e ganhe essa corrida maluca. Eu só quero que ele chegue mais rápido que esses caras comuns que fazem a gente acreditar numa porção de coisas e depois somem. Eu espero por ele, e é por ele, só por ele, que eu continuo aqui. Careta. Pateta. Ridícula. Acreditando piamente em príncipe encantado. Porque ele, vai me ensinar um tipo de amor que eu ainda não conheço. Aquele em que as duas partes amam de forma semelhante. Sem faltar nem sobrar amor em nenhum dos lados. Numa equação exata, balanceada. É por acreditar que ele vem que eu continuo aqui escrevendo bobagens, dizendo não. Eu me recuso a acreditar em qualquer um que me diga palavras bonitas. Eu quero mais. Mais que palavras. Eu quero provas. É por isso que eu continuo aqui. O cara que eu espero vai saber entender que essa minha ironia e esse meu senso de humor descontrolado é só uma maneira de mostrar que eu tenho medo de cair no jogo das pessoas. Ele vai saber como agir, vai saber o que falar, vai saber me decifrar. Quando ele vai chegar? Eu também não sei. Por isso que eu venho aqui todos os dias. Porque no meio de todo esse lixo eu ainda procuro o verdadeiro amor.

ps: ele pode ser um Ashton Kutcher se quiser rs :)

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...