quinta-feira, 22 de outubro de 2009

'despedida'

Tchau.
Eu sei que é um jeito estranho de começar uma carta, mas eu fiquei com medo de começar com um oi e acabar dizendo coisas que eu não queria. Tô escrevendo hoje pra me despedir e, dessa vez, torcendo pra que seja de verdade. Tô indo embora. Não dá mais pra ficar aqui esperando sua boa vontade pra falar comigo. Não dá mais pra ficar esperando por alguém que parece não voltar nunca. Cansei, mesmo. Tô indo embora pra outro lugar, pra outra vida. Tô indo procurar alguém que aceite abrigar meu coração. Não dá mesmo pra ficar. Eu juro que tentei, tentei lutar até o último segundo. Tentei achar possíveis motivos pra nossa distância, pras nossas faltas de encontros; fiz isso inúmeras vezes e doeu demais cada uma dessas vezes. Cansei, meu coração já tá aqui remendado, colado com um band-aid, mas ainda assim teima em não querer te deixar ir. Mas não dá mais, eu já decidi. Talvez, quando você estiver lendo essa carta eu já esteja longe demais pra você correr atrás. Desculpa se eu fui muito drástica, eu sei que eu não facilitei muito. Eu sei, eu só tornava tudo mais difícil, mas vê se tenta entender, eu só queria ter certeza do que você sentia. Eu queria que você lutasse por mim. Mas parece que você não estava tão disposto. Por isso parti. Ainda vou lembrar de você toda vez que olhar uma foto, escutar seu nome ou encontrar alguém parecido contigo, e cada uma dessas lembranças vai doer em lugares que eu nem sabia que eu tinha. Mas eu consigo superar. Afinal, você é só um cara, talvez o cara mais legal do mundo, mas não deixa de ser um cara, e eu, ah, eu já esqueci muitos caras antes, posso esquecer você também. Desculpa se eu escrevi demais. Desculpa por te fazer perder seu tempo lendo essas coisas bobas. Desculpa, mas antes de fechar esse envelope, deixa eu te agradecer por ter acreditado em mim e por ter gastado algumas horas do teu tempo comigo. De uma forma ou de outra, eu sei que eu devo ser importante pra você e talvez você até sofra um pouco com essa despedida. Na verdade, é isso o que eu espero. Mas não precisa responder essa carta pra me dizer o que você sentiu. Porque pode ser que você não tenha sentido absolutamente nada e eu acabaria me decepcionando, de novo. Vou guardar uma última imagem sua na minha mente: você, sentado com a minha carta na mão, chorando, não por causa de mim, mas por causa do fim da nossa possibilidade de amor. E eu vou fazer dessa imagem o meu castelo forte. Se puder, tente não guardar uma imagem ruim de mim, não pense em uma pessoa que só pensa em si e resolve terminar o que nunca chegou a acontecer, por carta. Eu sei foi um ato covarde, mas se eu estivesse frente a frente com você, eu certamente não conseguiria. Depois de tanto tempo longe, meus braços pediriam pra te envolver, minhas mãos pra te tocar e minha boca pra nada além de te beijar. Por favor, se puder, guarde em você a minha imagem escrevendo essa carta sentada numa cadeira em frente ao computador, chorando por cada palavra. Pode lembrar de mim como alguém que sempre esteve do outro lado do computador torcendo por você, esperando pra poder falar contigo. Mas lembra de mim, sobretudo, como alguém que esteve disposta a lutar por tudo o que sentia por você, mesmo sabendo que isso ia contra uma centena de coisas que eu tinha por certas.
um beijo. Um abraço.

ps: suplico que não me mate dentro de ti.

10 comentários:

little dreamer disse...

Minha linda! mta coisa a comentar....
1o- vc terminou o texto com chave de ouro (sutilmente do skank é perfeita demais)

2o - me identifiquei do começo ao fim.
ta começando a ficar chato, textos impecaveis sempre... hehe *-*

3o - ja dic q vc escreve mto bem? kkkkk' lálálá

Helen Karoline disse...

aah qe lindo lindo lindo *-*
carta pode ser um ato covarde, mas não deixa de ser emocionante. Atoron um perigon de uma cartinha hihi
Achei lindo *-*

Evelyn Colly disse...

*O* por indicação da Regina eu vi aqui, e meio que me arrependi não me arrependendo rs, tu me fez chorara, me fez sentir a dor de uma carta que eu talvez já deveria ter escrito a tempos com as mesmas palavras, mas não dá, pra mim não é tão fácil.

Tamanha pode ser a dor da perda ou da despedida, mas sempre há perdão para entender os erros...


Adorei aqui, estou seguindo já e sempre que tiver um tempinho vou vir ler suas palavras tão doces, se não se encomodar...

bjs.

Adrielly Soares disse...

Muito bom o texto, eu acho cartas super dígnas. São as minhas preferidas. Doído mas gostoso de ler.
um beijo.

Jéh Karol disse...

Nicole vc escreve lindamente ..

Juliano tem que ver isso. Ele vai amar!
Adorei!

kááh disse...

'Não dá mais pra ficar aqui esperando sua boa vontade pra falar comigo. Não dá mais pra ficar esperando por alguém que parece não voltar nunca. Cansei, mesmo.'

Eu também cansei, sabe? Chega uma hora que não dá mais.
Muuuuito obrigada pelo comentário e por seguir meu blog.. volte quando quiser :)
beijocas

Milena' disse...

Sabe, acho que é preciso coragem pra se despedir. Mesmo quando as coisas estão ruindo, é quase impossível largar.

'Eu sei, eu só tornava tudo mais difícil, mas vê se tenta entender, eu só queria ter certeza do que você sentia. Eu queria que você lutasse por mim.'
E não é isso que todas nós queremos? Quer dizer, pelo menos eu tenho esa mania. Gosto de ter certeza que algo é real.

Texto lindo, como sempre. Me identifico taanto com os seus textos, cara.
:*

Melissa disse...

que lindo *.*

p.s.:amo seus textos

Lily Ribeiro disse...

flooor tem selinhoS pra ti no meu blog, e mais um selo livre, ou seja, qualquer um pode pegar, aí diz que eu indiquei ok?!

http://lilyribeiro.blogspot.com/2009/10/selos_24.html

bjuux

Taa.H Lunardello . disse...

ae, eu chorei !
perfeiito to começo ao fiim
as vezes, isso é preciso *----*
ameii ♥

poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...